Os temas AbensonhadoMais real que o amorDiz sóNão voltes mais qualificaram-se para a final do Festival da Canção 2020, após garantirem o apuramento na segunda semifinal, realizada sábado à noite em Lisboa.

Os finalistas que, são escolhidos pelo júri – composto pelo músico Miguel Angelo, o crítico Rui Miguel Abreu, a cantora Anabela, o vencedor do ano passado, Conan Osiris, Héber Marques, voz dos HMB e artista a solo, a rapper Capicua e a radialista da Antena 3 Isilda Sanches – e pelo público, vão apresentar-se na grande final do Festival da Canção em Elvas. No dia sete de março, próximo sábado.

View this post on Instagram

Yes we did it, estamos na final!!🤩 Obrigada a todos vocês que acreditaram e votaram em nós🙏🏾 Todo este trabalho para aqueles três minutinhos de espetáculo aconteceu graças a essa Team linda que desde o início embarcou nesta viagem com todo amor, e com o propósito maior de passar uma mensagem de força e elevação a todas as mulheres que lutaram e lutam pela igualdade, justiça e dignidade. Mano @dinodsantiago we can’t thank you enough!! Estes momentos vamos levar conosco para sempre!! Elvas aqui vamos nós!!🥰🙏🏾 . . @ariana__abreu @aliciaa_rosaa @solangehilario @rosepalhares @inescmendonca @toomanyritinis @kalafepalanga @totysamed @pedrodalinha @nosaapollo @djodje_sabboy @maju.marta @brodamusic @festivaldacancao.rtp @makeupbymargarques @philipa_semedo

A post shared by KΛDY (@kadysoulsista) on

Foram cantados “Abensonhado” de Jimmy P, “Mais real que o amor” de Tomás Luzia, “Diz Só” interpretada por Kady, e “Não voltes mais” na voz de Elisa Rodrigues, que vão ser defendidas também na próxima semana na final da edição de 2020 do Festival da Canção.

Kady, cabo-verdiana, formada nos Estados Unidos cantou “Diz Só”, cuja a letra foi escrita por Kalaf Epalanga. Na música, ouvem-se os nomes de várias mulheres lutadoras africanas ou afro-descendentes, da locutora angolana Maria Turra, que é inclusive a avó da intérprete, a uma Marielle que provavelmente é Franco, passando pela diva dos pés descalços, Cesária Évora. O tema, foi composto pelo autor de Mundu Nôbu, Dino D’Santiago.

Já o rapper descendente de pais angolanos, Jimmy P, em Abensonhado – que, como o álbum homónimo a que pertence, é, além de Filipe Sambado, o outro artista do festival que apresentou uma canção que faz parte da sua própria discografia, tem inspiração de Mia Couto. E como já escrevemos aqui, o quarto álbum de Jimmy P é uma celebração daquilo que é a música em língua portuguesa, música da lusofonia. Onde convidou artistas de Cabo Verde, de Angola, do Brasil, músicos de todo o lado. Como também o desejo de que as suas raízes e herança cultural “ficassem bem presentes e bem visíveis naquilo que é este disco”, referiu o músico.

Só um dos finalistas viajará para Roterdão, na Holanda, em maio, para o 65.º Festival da Eurovisão. A semi-final deste sábado foi apresentada pela dupla Sónia Araújo e José Carlos Malato.