Antes de escrevermos este artigo, fizemos uma pequena e básica pesquisa acerca de próteses de cor negra, ou que se aproximam ao máximo da cor de uma pessoa negra. Não encontramos uma única referência. Este é um problema que um escultor e ex-especialista em efeitos especiais para filmes quer ajudar a solucionar.

John Amanam é nigeriano, tem 32 anos e tem uma vasta experiência em efeitos especiais, tecnologia e conhecimento suficiente para mudar uma realidade para muitos negros. A falta de próteses com o seu tom de pele. John já criou orelhas, narizes, dedos da mãos, dos pés e pernas protéticos hiper-realistas.

Segundo o site Shoppe Black – que escreve sobre negócios criados por africanos e da cultura negra na diáspora global – a inspiração foi um primo que perdeu os dedos num acidente. Amanam sentiu assim a necessidade de ajudá-lo a “recuperar” as extremidades das suas mãos. “Eu so pensava em formas de o ajudar como escultor e pensei comigo mesmo: ‘Como esculpi seres humanos, por que não consigo moldar algo que possa realmente ser usado num corpo humano?”, explicou.

John Amanam/ Foto: Reprodução Facebook Immortal Cosmetic Art

Para além do seu meio familiar, Amanam queria ajudar também outras pessoas que passaram pelo mesmo drama que o seu primo.

“Eles sentiam desconforto sempre que estavam perto de outras pessoas. Eu vi isso como um desafio. Se eu pudesse retribuir ou resolver essa necessidade, isso ajudaria bastante a aliviar esse trauma emocional e a perda de confiança. Eu só quero que eles se sintam em casa e sejam inteiros, esteticamente.”

No fundo, a ajuda seria apenas para melhor o auto-estima e a vida das pessoas no geral. Mas o objetivo não era apenas fazer próteses, como as que já existem, mas criar próteses realistas em termos de cor da pele e a textura. A maioria das próteses na Nigéria ou à volta do mundo são, na sua maioria, brancas ou não realistas.

Kit próteses / Foto: Reprodução Facebook Immortal Cosmetic Art

Amanam acrescenta ainda que “raramente encontramos pessoas com próteses de pele negra. Eu quero que isso seja uma realidade em África. Também quero chegar aos negros de todo o mundo, tornando esse processo acessível, a um preço acessível.”
Embora os produtos de Amanam tenham sido muito bem recebidos pelos pacientes que precisam de próteses, o escultor acredita que sempre há melhorias a fazer.

Amanam já tem lançada a sua marca de próteses com algumas vendas, mas quer ainda abrir uma fábrica de na sua cidade natal, Akwa Ibom i, para não apenas produzir um grande número de próteses realistas, mas também disponibilizá-las internacionalmente.