Mota Jr, rapper das lides do hip hop crioulo em Portugal, está desaparecido, de acordo com um anúncio da Hip Hop Sou Eu, publicado nas redes sociais esta quarta-feira, 18.

Na publicação avançada no Instagram, com uma fotografia do rapper, pode ler-se: “Família, o Mota Jr está desaparecido desde sábado, se tiverem alguma informação entrem em contacto.”

A BANTUMEN entrou em contacto com Lisandro Silva, o manager do rapper, que se encontra atualmente na Holanda para “tentar perceber o que realmente está a acontecer”.

Numa primeira abordagem com a redação, via WhatsApp, Lisandro preferiu pedir autorização à família de Mota para prestar declarações públicas.

Depois de falar com o irmã mais velha do artista português, Lisandro voltou a ligar-nos para explicar o pouco que se sabe.

Mota terá tido contacto com a sua família a manager pela última vez no dia 14 de março, sábado. “Não houve um preocupação inicial depois das primeiras 48 horas do desaparecimento porque já tinha acontecido o mesmo não contactar durante no máximo de dois dias”.

Contudo, passados quatro dias a preocupação entre familiares e amigos começou agravar-se. Nas redes sociais já são vários os posts sobre o assunto.

Apesar do desaparecimento, não obtivemos uma confirmação sobre um registo da ocorrência junto das autoridades competentes.

Na passada quarta-feira, 11 de março, três dias antes do seu desaparecimento, Mota também não apareceu na gravação do BANTUMENPodcasts, do qual era o convidado, mas o seu manager explicou ter-se tratado de um impedimento a nível pessoal.

Mota Jr. é um rapper branco, português, que canta maioritariamente em crioulo de Cabo Verde. Não é o único a fazê-lo mas é o que mais destaque tem no movimento. Nasceu em 1991, viveu grande parte da sua vida em Londres, onde começou a fazer música em inglês, mas rapidamente adotou o crioulo (que domina bem), como o seu veículo de comunicação no rap por conseguir, assim, transmitir melhor as suas emoções ao mundo.

O video mais popular é a faixa colaborativa com Piruka “Ca Bu Fla Ma Nau”, que tem mais de 20 milhões de visualizações no YouTube, sem esquecer “Passa Geral“ que conta com mais de quatro milhões de visualizações.