O cinema angolano tem vindo a dar cartas positivas, apesar do fluxo de lançamentos ainda estar abaixo das expectativas. Contudo, os projetos que têm chegado ao mercado tem feito provas de boa qualidade.

De acordo com os registos de época, O Caminho-de-Ferro de Benguela, de Artur Pereira, do ano de 1913, é o primeiro filme, registado, do cinema angolano.

Bem mais tarde, documentários como “Ensino em Angola”, 1950, de Ricardo Malheiro e “Terras e os Povos”, 1954, de António Sousa, são registos importantes que retratam um período turbulento que a nguinbi viveu.

Desde o início do milénio, filmes como Assaltos em Luanda, de Henrique Narciso “Dito, O Resgate, de Mawete Paciência e A Única Filha, de Bijú Garizin, acabaram por marcar uma geração em Angola, esgotando bilheteiras e colocar em valor o papel educativo que o cinema deve ter na sociedade.

Na nova geração de realizadores, muitos são os que apostam na produção de projetos mesmo sabendo das debilidades que o mercado angolano apresenta. A persistência e coragem de alguns acabam por ser a força motriz da qualidade e d roteiro de cada projeto.

É nesta senda que decidimos apresentar-te três filmes que vão ser lançados brevemente e merecem a tua atenção.

2 Mundos (3 de abril)

Com lançamento marcado para 3 de abril, 2 Mundos é um filme dirigido por Hochi Fu, é estrelado por Mário Suendes e Nataniela Simões. A trama retrata a história de amor de dois jovens que vivem realidades completamente opostas.

De um lado temos Vissolela, uma jovem formada no estrangeiro, que integra o grupo coral da igreja onde a sua mãe é pastora, e cujo pai é um empresário bem sucedido e deputado respeitado.

Do outro lado temos Nelson. Líder de uma crew talentosa de artistas urbanos e é neto de uma zungueira, com quem vive.

Este filme é um reflexo da realidade que, mesmo atualmente, muitos casais têm de enfrentar. Ainda há casos em que as famílias que vão contra a relacionamentos em que, alguns do lados é de uma classe inferior ou até mesmo superior que a outra.

A Divida (17 de abril)

Esta longa-metragem, protagonizada pelo humorista Gilmário Vemba, reúne cerca de dez actores como Vasco Estevão, Mário Octávio, Chong dos Santos, Sany Cláudia, Serafina Sanches, Sérgio Oliveira e Neide Van-Dúnem que contracena com o humorista.

Em entrevista ao site Pára Tudo – África, o humorista além de revelar que é o criador do projeto, em colaboração com a produtora Black Walk, Gilmário também frisou que se trata de um filme que é uma mistura entre comédia e acção. A história fala de um pai, Gil (personagem de Gilmário) que, “contraiu uma dívida para cuidar da saúde da filha e acabou numa embrulhada muito perigosa”.

A estreia do filme está marcada para o dia 17 de abril em todas as salas de cinema em Angola e Moçambique.

Mulheres (Brevemente)

Existem inúmeros casos de pais que não sustentam os seus filhos mesmo até quando vivem dentro do mesmo lar. Mulheres é um retrato dessa realidade, vivida por tantas famílias angolanas. A personagem principal é José, mais conhecido por “Ti Paga Bwé”, encarnado por Manuel Teixeira, que segundo a sinopse é “um homem irresponsável e doente por mulheres”, que em vez de sustentar a sua família, esbanja os seus recursos “na via” conquistando mulheres, enquanto a família “mergulha no sofrimento e na miséria”.

O filme tem a produção executiva de Sílvio Nascimento, uma co-produção da Owana Afro Filmes e distribuída pela Clé Entertainment e Tellas.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Clica aqui e torna-te Patrono da BANTUMEN

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".