Marsha Ella não é uma modelo qualquer. Além de bonita é negra, tem formas generosas e uma condição física que poucos na sua profissão exibem: tem uma perna amputada. Mesmo assim, é uma das caras em destaque na Playboy do mês de Abril.

Marsha Elle nasceu com deficiência focal femoral proximal, uma condição rara, onde o osso do fémur na área superior da coxa está malformado ou ausente, fazendo com que uma perna fique mais curta que a outra. Ainda pequena, a sua perna direita teve de ser amputada.

Um das suas maiores provações foi ter de usar próteses que em nada se assemelhavam a si. “Nasci no Haiti, mas a minha família mudou-se para Orlando, quando tinha apenas nove meses, para receber tratamento médico. A mudança deu-me a oportunidade de ir à escola e começar a andar pela primeira vez. Foi frustrante que não tivessem próteses na minha tez, mas naquele momento fiquei agradecida por ter uma perna. Entretanto, a tecnologia melhorou, mas demorou muito tempo até que eu tivesse uma prótese que correspondesse à minha pele escura.”

Na adolescência, fase complicada para quase todos os jovens, a modelo teve de ser ainda mais forte para superar a diferença. “No ensino secundário, os meus colegas olhavam para a minha perna quando eu passava por eles nos corredores. Eu tentava sair da aula antes do sinal tocar para os evitar, usava roupas largas – não apenas para esconder a minha perna, mas para esconder todo o meu corpo. Comecei a lutar contra a bulimia. A minha fé, a minha mãe e o meu amor pela música ajudaram-me a passar por esses momentos difíceis, mas a minha maior graça salvadora foi a comunidade. Quando completei 16 anos, comecei a frequentar um acampamento de verão para amputados em Salt Lake City. Foi a primeira vez que conheci alguém com a minha condição específica. Encontrei pessoas com quem poderia me relacionar intimamente. Eu podia perguntar-lhes coisas como “Ei, como é que limpas a tua prótese?”, contou à Playboy, na edição deste mês de abril.

Assim, Marsha não se deixou resignar à sua condição física e além de ser modelo é também, coach motivacional e cantora.

Um dos seus feitos mais recentes é o facto de ter sido eleita playmate de Abril. A Playboy, a revista que popularizou o erotismo feminino a partir dos anos ’50, escolheu Marsha Ella como uma das suas égides deste mês.

“Não conseguia parar de chorar. Nem num milhão de anos eu alguma vez imaginaria que viria a ser uma playmate“, relembrou Marsha quando foi contactada para fazer parte da revista, acrescentado: “o mundo está a ficar mais inclusivo e é inspirador saber que posso que posso ajudar a agulha mexer.” A sessão fotográfica foi realizada pela fotógrafa portuguesa Ana Dias.

Além de posar para a objetiva, Marsha também tem talento nas suas cordas vocais. “Sempre gostei do facto de que as pessoas não me pudessem julgar pelo que viam; eles só podiam julgar o que ouviam. A música fez-me sentir que eu tinha uma voz. Isso me deu um propósito e me permite partilhar a minha história com o mundo”, disse.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.