Depois de ter partilhado o regresso do seu companheiro, após um período de quarentena domiciliar, Oprah Winfrey revelou nas redes sociais da sua revista The Oprah Magazine, que fez uma doação para ajudar os mais vulneráveis durante a crise sanitária e económica criada pela Covid-19.

Fora 10 milhões de dólares doados à America”s Food Fund, um fundo lançado pelo ator Leonardo DiCaprio, Laurene Powell Jobs, a Apple e a Ford Foundation.

Em conversa realizada à distância com o chef de cozinha José Andrés e a diretora executiva da Feeding America Claire Babineaux-Fontenot, Oprah decidiu doar 10 milhões de dólares para apoiar as comunidades locais que, durante a pandemia, são as mais vulneráveis quer a níveis sanitários quer financeiros.

Num tweet, Oprah indicou estar solidária e sentir-se “impressionada com o trabalho que essas organizações estão a realizar”, numa altura em que o distanciamento social é uma das principais prevenções para evitar o vírus.

Oprah acredita que este fundo “será uma maneira poderosa de fazer a diferença”, nesta fase que é muito dolorosa para famílias desfavorecidas.

Durante a sua carreira, Oprah já apoiou inúmeras causas pelo mundo todo.

Em 2016, Oprah doou também 1 milhão de dólares a uma organização solidária, N Street Village, que ajuda e capacita mulheres sem-abrigo de Washington DC.

Além de Oprah, figuras como Rihanna, Blake Lively, Justin Bieber, Ryan Reynolds também já fizeram importantes doações monetárias para ajudar algumas organizações a combater os efeitos da pandemia do coronavírus.

Atualmente, os Estados Unidos da América são o epicentro da pandemia no mundo. O país regista um total de cerca de 245 mil casos e mais de seis mil óbitos.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".