É quase impossível imaginar Cristiano Ronaldo, Messi, Neymar e Mbappé no mesmo clube. De certa forma, é que se pensava com os DJs de afro House que integram a categoria dos melhores de Angola. Contudo, há uma primeira vez para tudo.

Trata-se do “Quarteto” dos DJs Habias, AKA M, Vado Poster e Teo No Beat, autores de vários hits afro-house de sucesso em Angola e além fronteiras.

O DJ AKA M contou-nos que após aparição no programa Zap News, os quatro decidiram brindar os fãs de música afro-house com um novo tema. “A iniciativa surgiu da emoção de estarmos juntos e nos conhecermos bem”.

Para quem não sabe, para um produtor pode ser bastante complexo construir um bom instrumental. Com quatro pessoas, com egos, gostos e ouvidos bastante diferentes, a dificuldade pode ser ainda maior.

Durante o processo de criação do instrumental, AKA M explicou que tudo aconteceu no estúdio e “que com base no que cada produtor já tem feito, cada um foi metendo a sua ideia”.

A criação de ideias, melodias, tudo partiu do Quarteto, tendo havido correções do que ficava mal, frisando que “por enquanto é só um instrumental”.

AKA M disse que consegue sentir o reconhecimento do trabalho que o coletivo tem feito individualmente.

A aceitação do afro-house fora de Angola é notável e por consequência da boa energia que o ritmo transmite, muitas destas são tocadas em televisões, rádios e discotecas estrangeiras.

Questionámos se o quarteto de DJs “consegue sentir os direitos de autor a serem cumpridos em Angola” e em resposta AKA M disse que “100% não… porque ainda precisam do apoio ao ministério da Cultura.

Os produtores têm inúmeras músicas de sucessos já lançadas durante os últimos cinco anos.

No caso de Teo No Beat, a sua ascenção surgiu após lançamento da música de Filho Do Zua, intitulada “Saia Dela”.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".