Um dia após se ter celebrado o dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, Rosa Wanga deu a oportunidade aos amantes de literatura angolana a lerem mais uma obra, Amor Surreal.

Segundo Rosa, este livro é uma sequência da sua primeira obra, Perder, que “descrevia a personagem principal, Carla Carvalho, como uma artista escondida, sonhadora e com um enorme desejo de descrever os seus sentimentos entre os versos dos seus poemas.”

Amor Surreal foi disponibilizado de forma gratuita em formato E-Book, com o apoio da organização Jovens Escritores Angolanos (JEA).

A criação desta obra é “fruto de uma corrente denominada #EscreverPorAmor”, que tem o objetivo de promover ao hábito de leitura entre os angolanos. Além de que, nesta altura de confinamento, a leitura poder ser uma mais valia entre as artimanhas que vamos encontrando para nos distrairmos.

Rosa Cristina da Fonseca Wanga é um nome promissor da nova vaga de escritores angolanos em fase de ascensão.

Sua primeira obra foi lançada a 1 de Junho de 2018, no Palácio de Ferro, em Luanda. A obra nasceu “do desejo de me fixar no mercado literário com uma narrativa rica e envolvente, carregada de mensagens para a nossa já doentia sociedade, onde o abandono paterno e escolar, a discriminação e a falta de amor são fortemente apresentados.”

Rosa diz que “a nova geração de escritores angolanos vem carregada de uma força que vai motivando mais e mais apreciadores e outros artistas ainda escondidos”. Acrescentando que “devemos sempre beber da experiência dos grandes monstros da literatura e criar sempre com a alma e o desejo de envolver os leitores”.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".