25 de maio. 2015. 5 anos de uma revista digital que nasceu para criar e partilhar referências no mundo da cultura urbana negra falante de português. Neste 2020, o objetivo era celebrar a data com um ciclo de mesas redondas, concertos e partilha de network, mas a covid-19 revelou-se inabalável. Obrigou-nos a mudar os planos e a assinalar a data de outra forma, que não envolvesse presença física, mas com a mesma glória.

Nasce assim o #BANTUFest, um evento online que pretende criar simbiose artística lusófona através do Instagram. O evento começou no dia 8 e culmina a 25 de maio, dia do aniversário da BANTUMEN e Dia de África.

Trata-se de uma multitude de eventos que incluem concertos, conversas e entrevistas com líderes de projetos de comunicação, artistas de renome lusófono e não só. 

Sharam Diniz, Carla Prata, Calema, TRX, Soraia Ramos, Rincon Sapiência, Tony Sa’Med, Hernâni da Silva, Boddhi Satva, Tekilla, Cenas Que Curto, 2Contra1, Rapaz 100 Juiz, Roselyn Silva, NoBalur, Fumaxa e Addy Buxexa, são apenas alguns dos vários nomes de relevo da cultura e lifestyle do movimento urbano de Portugal, Brasil, São Tomé, Angola, Cabo Verde, Moçambique e Guiné-Bissau, onde a BANTUMEN se faz ler. 

A concretização desta iniciativa à escala lusófona só é possível a partir do esforço conjunto de vários parceiros, como a Sony Music Portugal, a revista digital angolana Platinaline, os estúdios Big Bit, a produtora discográfica Klasszik, o Centro de Investigação Artística HANGAR e o programa digital 2Contra1 e o blogue Cenas Que Curto.

Nestes cinco longos anos de estrada, a BANTUMEN conquistou mais 3,5 milhões de utilizadores no website, perto de 60 mil seguidores orgânicos no Instagram e mais de 115 mil no Facebook.

Triunfámos na missão inicial definida, quando o segmento de produção era ainda primitivo: dar voz ao talento urbano negro desta vasta lusofonia que tão pouco, e muitas vezes mal, é representada nos diferentes canais tradicionais de difusão de informação. Além da língua que nos representa, a plataforma digital criou um lugar de intercâmbio onde o público se possa rever, encontrar e descobrir referências.

Hoje, com a sua base editorial em Lisboa, a BANTUMEN marca presença em Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné Bissau e, mais recentemente, no Brasil. O objetivo primordial é interligar a cultura urbana que brota nestas seis localizações, e consequentemente na sua diáspora, materializando o real sentido de comunidade lusófona, onde todos cabemos.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.