Depois da mini-série, “Baixu Ku Riba”, Tristany lançou o tema “acliclas” e prepara-se para lançar o seu primeiro albúm, Meia Riba Kalxa.

A mini-série Baixu Ku Riba foi criada com a ajuda de Diogo Carvalho e Onuntrigueiros, com o propósito de retratar a vida dos jovens mais desfavorecidos da Linha de Sintra e questionar a necessidade do roubo.

Não foi um projeto pensado desde início, uma vez que todo o material utilizado para a produção da série foi retirado e improvisado de projetos anteriores que haviam sido gravados ao longo de um ano.

“A série foi como uma forma de promover as pessoas que trabalham comigo”, diz Tristany. “Começámos a crescer no projeto juntos, acho que não faz sentido ser só um projeto meu mas um projeto de todos.”

Grande parte dos artista que têm vindo a trabalhar com Tristany vêm de Sintra. Sendo esta uma das razões pela qual o artista se foca em retratar a vida de um jovem daquela zona.

A sua nova música “Acliclas” remota-nos aos tempos do ensino básico do artista, onde os jovens tinham a “missão” de vestir roupas de marca como uma forma de afirmação”.

Como poucos tinham as condições de adquirir as marcas originais, recorriam aos meios mais baratos, um deles Acliclas, a falsificação mais conhecida da marca adidas.

“acliclas” conta com a participação de Julinho KSD, Chullage e Blade, um rapper da Tapada das Mercês, que faz parte do grupo Trap Society.

O beat foi produzido pelo próprio cantor, com a ajuda de Ari.You.Ok e Fidju Matchu, artistas que fazem parte da produção da maior parte das músicas de Tristany.

“Começámos a fazer o beat, na altura o Julinho ainda não tinha a cena que tem, mas ainda bem. Falei com ele e com o Blade, eles fizeram a letra ficámos em casa e houve vezes que não conseguiamos fazer, mas fizémos.”

Chullage entra na música com vocais, mas faz-se presente na vida de Tristany como mentor. “Foi uma pessoa que me deu dicas essenciais para viver”, explica o cantor.

Este tema “acliclas” faz parte do primeiro álbum Meia Riba Kalxa do artista, que sairá no dia 4 de junho.

Meia Riba Kalxa significa meia por cima da calça, “um gesto que simboliza o movimento de uma linha intemporal de acontecimentos, integrando na sua essência os problemas vivenciados pelos jovens das periferias”.

O álbum tem 12 faixas que se apresentam em 16. “As pessoas quando forem ao Spotify vão ver 16, mas verdadeiramente são 12 faixas. As outras quatro estão intercaladas no meio, são fases e momentos, há quem chame de skits.”

O Meia Riba Kalxa demorou cinco anos a ser concluído, mas as letras de cada música têm mais de cinco anos.

Outros nomes que ajudaram no processo de inspiração do albúm são Montreal, Instinto 26 e os seus pais. São os mentores de “mobilizações juvenis orgânicas”, que mais estimulam Tristany na produção de música. “Sou grato a esses movimentos orgânicos porque motivamo-nos uns aos outros”.

Outro factor que motivou o artista a desenvolver este projeto foi perceber, através da vivência com os rapazes mais novos, que os dilemas que ele próprio viveu em tempos ainda são recorrentes hoje em dia.

O albúm será distribuído através da Sony Music Portugal e estará disponível no dia 4 de junho nas diversas plataformas online.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade urbana lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.