“À medida que milhões de pessoas em todo o país saem às ruas e levantam suas vozes em resposta ao assassinato de George Floyd e ao problema contínuo de justiça desigual, muitas pessoas se perguntam como podemos sustentar o momento para provocar mudanças reais”, escreveu Barack Obama no Medium.

Após o discurso de Trump em Rose Garden na segunda-feira, Obama voltou ao Twitter, citando o irmão de George Floyd, que falou no início do dia em Minneapolis.

“Vamos fazer isso de outra maneira. Vamos parar de pensar que nossa voz não importa e vota. Não apenas para o presidente … eduque-se e saiba em quem você está votando. E é assim que vamos atingi-los, “Obama escreveu, anexando um clipe da NBC News do discurso de Terrence Floyd.

“Por fim, caberá a uma nova geração de ativistas moldar estratégias que melhor se ajustem aos tempos. Mas acredito que há algumas lições básicas a serem tiradas dos esforços passados que merecem ser lembradas”, escreveu o ex-presidente dos EUA.

Como nunca antes visto, o movimento em defesa da justiça perpetrada contra a comunidade negra está a juntar vozes de todos os extratos sociais. Artistas e ativistas como Kylie Jenner, Beyoncé, Madonna e Lady Gaga, Dr Dre, Anitta, Snoop Dogg, Michael B. Jordan, entre outros, se manifestaram através do Instagram; Chance the Rapper se manifestou na rua e Jordan, a marca do desportista Michael Jordan postou no seu Instagram “faça parte da mudança”.

“Primeiro, as ondas de protestos em todo o país representam uma frustração genuína e legítima ao longo de décadas de falha na reforma das práticas policiais e no sistema de justiça criminal mais amplo nos Estados Unidos. A esmagadora maioria dos participantes tem sido pacífica, corajosa, responsável e inspiradora. Eles merecem nosso respeito e apoio, não condenação – algo que a polícia de cidades como Camden e Flint compreendeu louvável”, continuou Obama no seu texto amplamente difundido nas redes e comunicação sociais.

O chefe de polícia do condado de Camden, Joe Wysocki, que trabalha na cidade há décadas, juntou-se à linha de frente de uma marcha em Camden na tarde de sábado, ostentando o seu uniforme, uma máscara protetora e um sinal de paz.

“Ontem foi outro exemplo de nosso compromisso contínuo e um diálogo muito real que estamos tendo com os moradores de Camden que tornaram nossa agência parte da estrutura desta cidade”, disse Wysocki em comunicado por e-mail à Associated Press.

Obama quis ainda apelar ao bom senso dos manifestantes mais violentos, que têm causado danos às comunidades mais frágeis. “Por outro lado, a pequena minoria de pessoas que recorreram à violência de várias formas, seja por raiva genuína ou por mero oportunismo, está a colocar em risco pessoas inocentes, agravando a destruição de bairros que costumam ter poucos serviços e investimentos e prejudicando a causa maior. Vi uma negra idosa sendo entrevistada hoje em prantos, porque o único supermercado do bairro havia sido destruído… o objetivo do protesto é aumentar a conscientização do público, destacar as injustiças e tornar desconfortáveis os poderes… – e em uma democracia, que só acontece quando elegemos funcionários do governo que respondem às nossas demandas.

Além disso, é importante entendermos quais níveis de governo têm maior impacto em nosso sistema de justiça criminal e nas práticas policiais…São prefeitos e executivos do condado que nomeiam a maioria dos chefes de polícia e negociam acordos coletivos com sindicatos policiais….Portanto, a questão é: se queremos trazer mudanças reais, a escolha não é entre protesto e política. Temos que fazer as duas coisas. Temos que nos mobilizar para aumentar a conscientização, e precisamos organizar e votar para garantir que elegemos candidatos que atuarão em reforma.”

Cardi B, no seu Twitter, fala a respeito dos saques que ocorrem nas várias cidades norte-americanas em resposta à morte de George Floyd. “Eles saquearam em Minnesota e, por mais que eu não goste desse tipo de violência, é isso: marchas pacíficas demais, muitas hashtags de tendências e SEM SOLUÇÕES! As pessoas ficam sem escolha.”

Por outro lado, Obama pede que a luta seja política e organizada. “Quanto mais pudermos exigir justiça criminal e reforma da polícia, mais difícil será para os funcionários eleitos oferecerem apenas elogios à causa e depois voltarem aos negócios. E se você estiver interessado em tomar medidas concretas, também criamos um site dedicado na Obama Foundation para agregar e vos direcionar a recursos e organizações úteis que lutam pela boa luta a nível local e nacional há anos… Se, daqui para a frente, pudermos canalizar a nossa raiva justificável em ações pacíficas, sustentadas e efetivas, esse momento poderá ser um verdadeiro ponto de virada na longa jornada de nossa nação para cumprir nossos ideais mais elevados. Vamos ao trabalho.”

Barack Obama dirigiu-se também ao povo através do seu Twitter, no dia 29 de maio, citando as conversas que teve sobre a morte a morte de George Floyd. Entre elas, uma com um homem de negócios afro-americano, que disse: “‘Eu chorei quando vi o vídeo. Ele me quebrou. “O ‘joelho no pescoço’ é uma metáfora de como o sistema detém tão negativamente os negros, ignorando os pedidos de ajuda”.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade urbana lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.