A Forbes já lançou a lista “30 Under 30” do entretenimento, que indica quem são os artistas, nascidos depois de 1990, mais influentes da Europa. Já conhecidos do público em geral ou talentos emergentes, a revista norte-americada dá destaque aos 30 com menos de 30 anos mais inspiradores do momento e estes são os artistas negros debaixo dos holofotes.

Naomi Ackie

Ackie recebeu pela primeira vez a atenção do público pelo seu papel em “Lady Macbeth”, de 2016, com o qual ganhou o British Independent Film Award na categoria Artista Revelação. Mais recentemente, a atriz de 28 anos, nascida em Londres, apareceu nas séries “The End of the F*cking World” e “The Witcher”, disponíveis na Netflix, e ainda no filme Star Wars: The Rise of Skywalker.

Sheila Atim

Atriz, cantora, compositora e dramaturga, Sheila tem 29 anos e nasceu no Uganda. Estreou-se como atriz profissional em 2013 em The Lightning Child, uma comédia musical. Ganhou o prémio Laurence Olivier de 2018 como Melhor Atriz Secundária, no musical Girl from the North Country. Em 2020, participou no filme “The Show” e na série de TV “Underground Railroad”, dirigida pelo vencedor do Oscar Barry Jenkins.

Kelvyn Colt

Nascido na Alemanha, de pai nigeriano e mãe alemã, Kelvyn Colt cresceu na cidade de Wiesbaden, conhecida por abrigar uma das maiores bases militares dos EUA na Europa. Aos 20 anos, Kelvyn deixou seus pais orgulhosos ao tornar-se o primeiro da família a ser aceite na universidade; numa prestigiada faculdade de Direito em Berlim. Depois de apenas algumas semanas, o artista decidiu mudar o curso do seu destino, mudando-se para Londres, onde decide ir e tentar a aventura artística.

Em 2019, Colt foi catapultado para fora da cena underground de Berlim e começou a fazer digressões pelo mundo. A sua música mais popular, “Bury Me Alive”, já foi ouvida mais de dez milhões de vezes no Spotify. O rappe assinou recentemente um contrato com a Sony Music Alemanha.

Ncuti Gatwa

É um ator britânico-ruandês, nascido a 16 de outubro de 1992, no distrito de Nyarugenge, em Kigali. O seu primeiro papel nos écrans foi como Eric em “Sex Education”, da Netflix, que fez do jovem artista uma estrela de destaque e alvo de elogios da crítica. Antes da estreia do programa em 2019, Gatwa foi elogiado pelo Ian Charleson Award, por interpretar Mercutio em “Romeu e Julieta”.

Dave Omoregie

Omoregie, mais conhecido pelo seu nome artístico Dave, tem 21 anos, nasceu em Inglaterra e é descendente de nigerianos. O rapper começou a destacar-se aos 18 anos, ao lado de AJ Tracey, com quem escreveu “Thiago Silva”, em homenagem ao jogador brasileiro de futebol, mas foi no ano passado que a sua popularidade explodiu. O álbum de estreia Psychodrama ganhou o Mercury Prize no Reino Unido, bem como o Álbum do Ano no Brit Awards 2020, e liderou as tabelas de música no país.

Micheal Ward

Micheal Ward, tem 22 anos, é um ator inglês nascido na Jamaica e criado em Romford, Londres. A atuação de Ward na série “Top Boy” valeu-lhe o prémio BAFTA Rising Star deste ano. Anteriormente, o ex-modelo ficou também conhecido pelos seus papéis em “Blue Story” e “The A List”.

Celeste Waite

A cantora de soul britânica, nascida nos EUA, conta com Elton John como fã (o artista adicionou dois singles Waite à sua lista pessoal da Apple Music em novembro) e já abriu o palco para Janelle Monae. No ano passado, Celeste Waite, de 25 anos, ganhou o prémio de Artista Revelação do Ano e Música do Ano da BBC e este ano ganhou o Rising Star Brit Award. O seu álbum de estreia deve ser lançado ainda este ano.

Foto: Dummy Mag / Celeste

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade urbana lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.