13 anos depois, a França vai indemnizar família de jovem morto numa carrinha da polícia

“Vivemos treze anos de luta contra a negação da justiça, diante de uma instituição que nos recusou um processo pelos responsáveis ​​pela morte do nosso filho, irmão, tio. "

Lamine Dieng

Após treze anos de processo, o governo francês vai pagar 145 mil euros aos familiares de Lamine Dieng, um franco-senegalês de 25 anos que morreu numa carrinha da polícia, em Paris, em 2007, apurou a AFP esta segunda-feira junto Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH). A indemnização encerra assim todos os processos contra a país sobre este caso.

Depois de perder o processo por duas vezes na Justiça francesa, a família do jovem apresentou um recurso ao TEDH, em dezembro de 2017. O tribunal de Estrasburgo remeteu o caso para uma mediação entre as partes, entretanto ratificada a 14 de maio. Dessa mediação ficou estabelecido que o Estado francês terá de pagar uma indemnização de 145 mil euros à família de Dieng.

“O tribunal recebeu a declaração de solução amistosa em virtude da qual os autores aceitaram renunciar a qualquer outra reivindicação contra a França com base na origem deste caso, tendo o governo se comprometido a pagar a quantia de 145.000 euros”, pode ler-se no acordo. “O tribunal toma nota do acordo alcançado entre as partes e considera que este acordo se baseia no respeito aos direitos humanos, garantidos pela Convenção [dos Direitos Humanos Europeus] e os seus protocolos e não vê nenhuma razão que exija que o TEDH continue a examinar ao processo em questão”.

Lamine Dieng morreu a 17 de junho de 2007 , num carro da polícia depois de ter sido imobilizado e pressionado no chão enquanto resistia à prisão na cidade de Paris.

“Treze anos de luta contra a negação da justiça”


Em comunicado de imprensa, a família de Lamine Dieng saudou o acordo, que para eles foi “uma vitória”:

“Vivemos treze anos de luta contra a negação da justiça, diante de uma instituição que nos recusou um processo pelos responsáveis ​​pela morte do nosso filho, irmão, tio. “

A irmã Ramata Dieng, dececionada com a posição do presidente francês Emmanuel Macron sobre a violência policial [durante o discurso ao país neste domingo, 14, onde reforçou o apoio às forças de segurança], convocou uma manifestação no sábado à tarde em Paris.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade urbana lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.