Os recursos minerais africanos são fonte de cobiça desde que o resto do mundo ouviu falar da fortuna, até hoje inigualável, do rei maliano Mansa Musa, aquando da sua peregrinação a Meca, em 1324.

Nos dias de hoje, são as pedras preciosas de Moçambique que fazem furor no oriente. A China descobriu que Namanhumbir, distrito de Montepuez, província de Cabo Delgado, é a terra de rubis e esmeraldas únicos.

Segundo um comunicado da Montepuez Ruby Mining, empresa responsável pela exploração daqueles recursos minerais, existe uma “procura crescente dos rubis de Namanhumbir” na China.

De acordo com o documento, citado pelo jornal Carta de Moçambique, o primeiro relatório da Gemfields (mineradora britânica detentora de 75% das acções da MRM) sobre pedras preciosas na China, revelou que 35% dos proprietários de jóias chinesas pretendem adquirir rubis e 25% desejam as esmeraldas, reforçando que este é “o momento de se aproveitar a oportunidade de satisfazer a expectativa dos consumidores chineses, em matérias de responsabilidade empresarial e sustentabilidade”.

De recordar que, Moçambique possui importantes recursos naturais, entre eles destacam-se a energia hidroeléctrica (Cahora Bassa), gás, carvão minerais, madeira e extensas terras agrícolas.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.