A banda musical Ferro Gaita alcança os 24 anos da sua existência e reafirma o seu estatuto no panorama da música cabo-verdiana, na sua génese mais tradicionalista.

Os Ferro Gaita são indiscutivelmente umas das maiores instituições musicais de Cabo Verde, uma referência incontornável do funaná, da tabanka e do batuku. Mesmo em tempos de pandemia e após seis meses afastados dos palcos, o grupo deu um concerto transmitido online como forma de assinalar a data do seu 24.º aniversário.

Como o próprio nome indica, o conjunto tem a sua história assente em dois instrumentos artesanais que, juntos, formam a sonoridade inconfundível da música tradicional cabo-verdiana. São eles um simples ferro e uma faca de mesa, tocados por Bino Branco (Carlos Pereira) e a gaita (acordeão), tocada por Eduíno (Estêvão Tavares). O grupo, composto ainda por Adão Brito, Emanuel Tavares (Manel di Tilina), Jorge Martins e Frutuoso de Pina (Pitó), que tocam alguns dos restantes  instrumentos musicais, como o baixo, a bateria e a caneca, é acarinhado pelo tanto público cabo-verdiano e como pelo internacional.

A banda nasceu em 1996, quando um grupo de amigos se juntou espontaneamente para tocar funaná. Uns anos mais tarde, sem que isso tivesse sido sequer uma ideia, pisam o palco Olympia, um dos mais célebres em França. Entretanto, já pisaram palcos um pouco por todo o mundo além dos principais em Cabo Verde, Alemanha, Cuba, Senegal e Holanda, elevando a tradição, o património e a cultura do povo cabo-verdiano. Ao longo do percurso, os Ferro Gaita tiveram a oportunidade de cantar com a grande Cesária Évora, Tito Paris, Ildo Lobo, entre muitos outros artistas de renome.

Nos Estados Unidos da América, em 99 gravam um dos seus mais icónicos trabalhos, Rei di Tabanka, e só mais tarde, em 2003 gravaram o primeiro trabalho em Cabo Verde, Bandera Liberdade

Este último mostra claramente a conexão que a banda tem com as suas origens, inebriada pelos ritmos e com o tema da saudade como mote. Desde sempre que as atuações ao vivo dos Ferro Gaita são uma autêntica viagem às vivências, aos lugares e às memórias de um povo.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.