Rigoberto Torres figura entre os mais promissores newcomers do movimento hip hop em Angola. Associado à produtora B-Unik, gerida por D3GV$, e que tem nomes com Mary’J e Nuno Pontas , Rigoberto vai agora lançar novo projeto, em colaboração com um dos melhores deejays do país, Ritchelly.

O que une o DJ e produtor, que fez descolar a sua carreira em Miami, Florida (EUA), e Rigoberto Torres, de 20 anos, que cresceu com fortes influências de rap e RnB, são samples de clássicos da música lusófona. Rigoberto idealizou um projeto onde pudesse incluir um tempero dos maiores hits do hip hop lusófono e a única pessoa que o rapper achou capaz de materializar a sua ideia foi Ritchelly,

A alguns anos de distância dos 30, Ritchelly já se pode gabar de ter sido destaque no New York Times e de ter o seu nome consolidado no movimento angolano e lusófono.

Aliás, o DJ foi um dos primeiros a usar um sample de um clássico angolano, “Olhos Café”, há cerca de cinco anos, numa música com o mesmo nome e interpretada por Duc e Niiko.

Sobre este novo projeto, os artistas concederam uma entrevista em vídeo exclusiva à BANTUMEN, onde revelaram o processo criativo de produção e captação deste EP colaborativo.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.