A NatGeo revelou o grupo inaugural do Field Ready Program durante a conferência de imprensa da Summer Television Critics Association, realizada online. A surpresa é a participação do artista visual angolano Mauro Sérgio.

O programa procura promover a diversidade e a inclusão na produção televisiva global, fornecendo “um caminho claro para uma nova geração de pessoas” interessadas em trabalhar por trás das câmeras. No final do programa Field Ready, a National Geographic vai colaborar com os aprendizes, originários de vários países.

Ver esta publicação no Instagram

Com a natureza de comer na terra e defecar na água, os hipopótamos são um dos maiores engenheiros do nosso ecossistema fertilizando a água dos rios e dos lagos com nutrientes que outrora não seria possível. Eles criam e mudam as propriedades da terra dentro e fora dos rios e pântanos devido o seu enorme tamanho. Eles criam canais nos pântanos e caminhos que redireccionam a circulação de água. Durante toda a nossa expedição no Delta do Okavango usávamos os canais criados por eles dia após dia para seguir com a nossa missão. Considerados como os maiores sacanas da selva, a aparência fofa começa e acaba na TV ou numa foto. Pessoalmente, eles são imponentes e impõem medo. Nenhum outro animal em África mata mais pessoas do que eles, qualquer ser que vive ou circula pelo Delta tem imenso receio de os encontrar. Com um perfil extremamente territorial, os hippos atropelam tudo que ameaça a sua zona de conforto. É impossível correr ou nadar mais do que eles, já que chegam a ultrapassar os 30 Km/h a correr em terra. A única forma de seguir caminho com a presença deles? Somente respeitando o seu habitat e conhecendo o seu comportamento. As nossas travessias só foram possíveis porque esse respeito e conhecimento sempre estiveram presentes. Em cada encontro que tivemos, foi um encontro com a morte. As mãos ficavam geladas, as glândulas adrenais disparavam no seu funcionamento e o corpo sentia-se completamente vivo esperando pelo pior. Tivemos situações que serão melhor ilustradas em conversas ao vivo ou talvez num quiz aqui no Insta. Mas receios de lado, devo dizer que depois de observar várias vezes o comportamento deles com relação ao seu meio, pude concluir que eles são os verdadeiros Guardiões da Galáxia. Eles consideram o rio a sua sala de estar… E eu te pergunto, o que farias se 12 estranhos aparecessem na tua sala de repente e tu estás lá com a tua família? #IntoTheOkavango @intotheokavango #InsideNatGeo #NatGeo #Okavango19

Uma publicação partilhada por Mauro Sérgio (@mauro_s3rgio) a

Na página oficial da emissão, Mauro Sérgio Francisco é descrito como um fotógrafo que se deixou levar pela produção de vídeos para documentar a história e os recursos naturais de Angola da perspectiva local, especificamente para explorar os paralelos e a interconexão da sobrevivência dos seres humanos com a sobrevivência de outros animais.

Num tweet feito a partir do seu perfil oficial, Mauro revelou com ironia a sua participação no projeto: “Foi criado um programa para introduzir 10 novos criadores à indústria cinematográfica. 9 entraram com talento e 1 entrou com sorte: Eu!”

O fotógrafo já esteve envolvido com a NatGeo em 2018, quando foi selecionado para ser o fotógrafo oficial do projeto “A vida selvagem em Okavango”.

Em parceria com a National Geographic Society, a organização sem fins lucrativos da National Geographic, o programa de orientação de seis meses consistirá numa série de master classes mensais e orientação individual digital dos principais profissionais do setor.

A primeira turma do programa é composta por 10 cineastas de todo o mundo, que vão receber mentira dos melhores profissionais de videografia do mundo da Natureza.

Devido à pandemia de coronavírus, o primeiro ano do Field Ready Program irá desenrolar-se exclusivamente no formato digital.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".