Amílcar Cabral é um dos maiores símbolos da resistência ao colonialismo português, tendo um significado especial para o povo guineense e cabo-verdiano. Foi através do PAIGC (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde) e, mais tarde, em 1972 com a fundação da Assembleia Nacional do Povo da Guiné, que Cabral começou a dar os primeiros (grandes) passos para a independência das ex-colónias.
 
A história de vida do líder africano vai ser retratada num documentário que conta com a assinatura do realizador Miguel Eek. Foi numa viagem a Cabo-Verde, em 2013, que Miguel ficou a conhecer a vida e obra de Amílcar Cabral. O interesse foi imediato e o realizador considerou oportuno documentar e reforçar a determinação e dedicação de Cabral na luta pela independência da Guiné-Bissau e de Cabo-Verde, então colónias portuguesas.
 
Embora, para muitos, seja estranho que um sueco se interesse pela história de vida de Amílcar Cabral, a verdade é que para Eek isso representa uma mais-valia no sentido de garantir a imparcialidade do seu trabalho. O realizador formou então uma equipa encarregue de entrevistar pessoas que, de certa forma, tivessem privado com Cabral.
 
Os testemunhos de familiares, amigos e companheiros do líder, levam o autor a afirmar que “direitos humanos, utopia, racismo, amor impossível, ambição, guerra e traição” são valores transversais à vida de Amílcar, reforçando que a sua história vai além das fronteiras do continente.
 
O documentário Amilcar — The African Utopias Maker (Amílcar — O realizador de Utopias Africanas) é um projeto que está a ser trabalhado há cerca de seis anos. Entre outras coisas, Miguel Eek pretende brindar-nos com um género de diário de bordo, onde é possível encontrar e ter acesso a informações como sinopse, imprensa, participantes e equipa.

Há também uma parte onde os espectadores podem contribuir financeiramente para ajudar na conclusão do documentário. A contribuição pode ser feita através do link, onde também é possível assistir ao trailer do filme.

Inconformada por natureza, acredito que o sucesso é um processo de melhoria contínua. Apaixonada pelas liberdades e oportunidades que a vida tem para oferecer. Teimosa o suficiente para não desistir, inteligente o suficiente para saber quando desistir. P.S: Ainda compro jornais em papel.