Rahiz tem estado a promover o seu último projeto, Na Kriolo, um álbum de três volumes que canta ao empoderamento e à auto-estima do povo crioulo. No dia 15 de agosto saiu o segundo volume e o artista tem promovido o trabalho através das redes sociais dando igualmente plataforma a jovens cabo-verdianos para divulgarem os seus trabalhos e não só.

Na Krioulo é um projeto de três volumes com vários ritmos africanos. Tinha planeado em março estar a viajar para filmar mas com o covid-19 tivemos de mudar os nossos planos. Então, nas redes sociais todas as semanas vou lançar música”, explicou Rahiz à BANTUMEN.

As letras das músicas desta obra são todas em crioulo e todo o projeto foi produzido e masterizado pelo próprio artista.

Com um flow que dança entre o reggae, ragga e kizomba, Na Kriolo dá também o mote para um podcast semanal, à quarta-feira, nas redes sociais de Rahiz, onde o artista, além de celebrar a língua cabo-verdiana, fala sobre assuntos políticos e sociais que incomodam, como racismo, discriminação, sexismo, entre outros.

O primeito volume de Na Kriolo saiu no dia 22 de julho, seguindo-se o segundo a 15 deste mês de agosto. Deste, há uma música que se tornou bastante popular, “Feita em Cabo Verde”, que homenageia o poder e beleza das mulheres cabo-verdianas. O single é um remix de “Melanin” dos quenianos Sauti Soul. “Refiz o beat e a letra e é o nome de um formato live em que dou plataforma às minhas manas cabo-verdianas para partilharem os seus negócios, as suas aventuras e experiências. Sou um ávido defensor que as nossas mulheres africanas precisam ser mais valorizadas, porque está nas mãos delas a solução para muita coisa e se nós os homens não as apoiarmos, nós, como povo, dificilmente chegaremos a bom porto”, indagou Rahiz.

O terceiro volume de Na Kriolo, ainda não tem data de lançamento. Desse disco, há uma música que vai contar com uma “participação internacional muito importante”, mas “recebi uma chamada na qual me propuseram que usasse essa música para uma projeção maior de Cabo Verde para outro projeto muito importante onde estou envolvido e que unirá Jamaica e Cabo Verde através da musica e nao só”. A música, cujos detalhes não podem ainda ser revelados, vai assim ser lançada de forma independente.

Sobre a possibilidade de gravar videoclipes, Rahiz indica que fazia parte dos seus planos, mas a pandemia acabou por mudar o programa da promoção de Na Kriolo. “Gostaria de fazer muitos vídeos mas com a covid não vai ser possível. Quem sabe encontre um formato online que faça sentido.”

Os dois volumes do projeto já se encontram disponíveis para audição nas plataformas de streaming.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.