Numa altura em que a luta contra o racismo tem se tornado muito mais intensa, Ricky Man e Djodje surgem com um single com uma letra diferente daquilo que têm apresentado ao seu público.

Intitulada “Preto”, a música de Ricky e Djodje é um grito de empoderamento com uma mensagem forte contra os racistas: “Eu já me calei, agora vão me ouvir. Posso até tremer mas não vou cair. A tua opinião dá me vontade de rir.

“Não me venham com as vossas teorias. Estou farto de hipocrisia. Falar de supremacia provoca-me azia. O teu ego vem do medo o meu ego não tem medo. Revelado o teu segredo: ignorância e preconceito. Já me levantei do chão. Bate o pé e levanta a mão”. Estas são algumas das frases chave da música cantadas entre Ricky e Djodje.

O objetivo de “Preto” é consciencializar e valorizar os negros, homenageando também “todos aqueles que lutaram e lutam pela causa”, acrescentando que os autores e artistas envolvidos no projeto não tiveram a intenção de criar qualquer tipo de controvérsia ou sentimento de ódio nos seus espectadores, pode-se ler num comentário da Broda Music ao vídeo no YouTube.

“O racismo existe sim e a melhor forma de combater este mal é falar sobre o assunto de uma forma consciente e com amor ao próximo”, concluiu a label.

O videoclipe da música mostra trechos de imagens de manifestações feitas em Lisboa e também de figuras históricas na luta antirracista, como Nelson Mandela.

A música tem a letra de Ricky Man, Djodje, Gerson Marta, Mário Marta e Kady Araújo, sendo a mesma produzida por Zala, misturada e masterizada por Pedro Villas.

O vídeoclipe foi realizado por Wilsoldiers, recebendo uma produção de Jussara Sprencer.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".