Willy Duarte, um jovem de 21 anos, italiano de origens cabo-verdianas, foi espancado até a morte perto de Roma, neste sábado, 5. O jovem queria intervir para impedir uma luta num bairro movimentado, mas acabou por ser atacado por quatro homens, que o pontapearam e socaram até à morte.

Dois dos assassinos são, segundo a imprensa italiana, lutadores de MMA (Artes Marciais Mistas). “Toda a gente os conhece, eles já bateram em muita gente”, pode ler-se em alguns testemunhos divulgados pela comunicação social daquele país.

Ver esta publicação no Instagram

Quando la verità dei giusti si schianta contro il muro di gomma della banalità del male cercare moventi è inutile se non dannoso. Fascisti, picchiatori seriali, criminali, assassini sono solo parole. La realtà è molto meno sofisticata. Willy è stato ucciso per noia. Vite che si trascinano per inerzia, ne ho viste tante… bulli di periferia, bulli di città, bulli in divisa, bulli in giacca e cravatta. All lives matter? Forse. Io so solo che specchiandomi nella vivacità di questi occhi riconosco il peso che grava sulle spalle di chi non può fare a meno di tendere la mano, l'incommensurabile valore di una vita donata, l'eroismo che si condensa in un piccolo enorme gesto. Non ho giudizi sui carnefici, non è affar mio. #willyduarte #giustiziaperwilly

Uma publicação partilhada por AlemThay GebreMeskel (@86alemthay) a

Willy Duarte, de nacionalidade italiana, trabalhava como recepcionista num hotel perto de Roma. Depois do trabalho, foi com uns amigos a um bar em Colleforro, a cerca de 50 quilómetros da capital.

Por volta das três da manhã, um dos seus amigos esteve envolvido num confronto com outros jovens e Willy Duarte tentou acalmar os ânimos. Esse esse papel de mediador acabou por lhe custar a vida.

Willy chegou a ser socorrido por uma equipa de emergência mas não conseguiu resistir, tendo o óbito sido declarado no hospital.

Os quatro homens que o espancaram brutalmente foram detidos mais tarde nessa noite, enquanto bebiam tranquilamente uma cerveja, revela a imprensa italiana.

A motivação racista está a ser apontada, considerando o historial criminoso dos quatro homens. Marco, 26, e Gabriele, 24, Bianchi, irmãos, são lutadores de MMA. Os outros dois suspeitos, Francesco B. e Marco P., 23 e 22, tiveram uma participação alegadamente “reduzida” na morte de Willy. A investigação ainda está em andamento para determinar o papel de cada interveniente.

Na cidade de Artena, de onde são provenientes os irmãos Bianchi, o sucedido não é uma surpresa, visto o historial de ambos: desordem pública, brigas, maus-tratos, ameaças, tráfico de drogas, glorificação do ódio e da violência.

“Todos os conhecem, porque nos últimos anos já bateram em muita gente. Isso nunca deveria ter acontecido ”, reagiram alguns moradores locais.

A opinião pública tem se levantado na Itália, que se demonstra revoltada com o assassinato do jovem italiano.