Os AFRIMMA, uma das mais prestigiadas cerimónias de reconhecimento dos principais atores da música africana, revelou a lista de nomeados para a edição de 2020, com Angola a voltar a deixar a sua marca no concurso.

Nesta nova sétima edição, que vai acontecer no dia 15 de novembro nos Estados Unidos da América, Angola destaca-se com um total de 13 artistas nas premiações do African Muzik Awards (AFRIMMA).

C4 Pedro é o angolano que, com três nomeações, lidera a lista dos “AFRIMMA 2020”, concorrendo em três categorias, como Melhor Actuação ao Vivo, Melhor Artista Masculino e Melhor Artista Lusófono, e segue Matias Damásio e Anselmo Ralph com duas nomeações, Eva Rap Diva e Edmazia Mayembe na disputa pelo troféu de Melhor Artista Feminina da África Central, Mobbers, na categoria de Melhor Grupo Africano/Melhor Rap masculino do ano, e Miguel Buila, Melhor Gospel.

Além dos três nomes acima citados, o concurso destaca também Neru Americano & Scro Que cuia na categoria de Melhor Dançarino Africano, Prodígio para Melhor Artista Lusófono, que entra na corrida com Paulo Flores, Matias Damásio e C4 Pedro.

Dono de um percurso profissional de invejar, Afonso Quintas, director da Rádio Luanda, concorre também na categoria de Rádio/TV como Apresentador do Ano.

Uma outra surpresa desta edição é a entrada pela primeira vez na lista dos nomeados aos prémios dois djs angolanos que muito têm feito pela valorização e expansão da música africana no continente e na diáspora. Malvado e Lutonda disputam assim a categoria de Melhor DJ de África.

Relembramos que os AFRIMMA não devem ser confundidos com o All Africa Music Awards da Nigéria (AFRIMA), que é um evento independente.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.