Michael Jordan, uma das maiores estrelas que a NBA já viu, é agora dono de uma equipa, recém criada, da Nascar, a His Airness, e assinou com o único piloto negro da competição, Bubba Wallace.

Em comunicado, Jordan disse que “historicamente, a Nascar tem lutado contra a diversidade e há poucos proprietários negros. O momento parecia perfeito, pois a Nascar está a evoluir e a abraçar cada vez mais as mudanças sociais. Além do recente compromisso e doações que fiz para combater o racismo sistemático, vejo isto como uma chance de educar um novo público e abrir mais oportunidades para os negros nas corridas”, acrescentou o ex-basquetebolista.

Michael Jordan torna-se no primeiro dono negro de uma equipa de corrida na NASCAR Top Series desde Wendell Scott na Nascar Hall of Fame, há 60 anos. Fora esse feito, o desportista e empresário assinou também contrato o único piloto negro da competição, Bubba Wallace.

“Quando era pequeno, na Carolina do Norte, os meus pais levavam-nos, a mim e aos meus irmãos, às corridas e eu sempre fui um fã da Nascar”, disse ainda à comunicação social o ícone do basquetebol mundial de 57 anos.

Por sua vez, o piloto de 26 anos, Bubba Wallace disse que está “é uma oportunidade única na vida” e que acredita ser a melhor opção atualmente para a sua carreira.

A organização manifestou-se em comunicado dando boas-vindas a MJ, dizendo que a “sua presença no nível mais alto da Nascar fortalecerá ainda mais a competição, a emoção e o ímpeto” que cresce em torno daquele desporto.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".