Hugo Pina acaba de lançar um novo projeto. “Brand New” já está disponível nas plataformas de streaming.

Composto por “Pakê Sukundi”, “Refém” e “Um Beijo”, o EP marca o retorno de Hugo aos projetos musicais “mais compostos e elaborados”, sendo uma resposta aos fãs que já há muito ansiavam por um projeto. O último álbum do artistaVida, foi lançado em 2016.

Dentro da kizomba, “Brand New” é cantado em duas línguas, português e crioulo de Cabo Verde. As letras transbordam na sua composição um misto de sentimentos, partindo do amor e chegando às “diversas formas de estar e viver num relacionamento”.

Na música “Pakê Sundi”, Pina canta sobre uma relação em que o homem “pede confiança e tenta mostrar o quanto a mulher não precisa de ter receio de se entregar”.

Na sequência, a música “Refém” faz um reflexo e um alerta para o facto de existirem relações tóxicas, pois quando uma das partes passa a depender de outra para viver acaba por se tornar “refém”.

Em “Um Beijo”, o cantor fez questão de espelhar o orgulho que “podemos e devemos ter do nosso parceiro, enaltecendo tudo o que nele nos agrada”, sendo este tema cantado num tom mais romântico com um “ritmo e letra mais alegres” que os títulos anteriores.

Na sua discografia, Hugo Pina tem as obras I’m Gonna Change, composta por dez músicas, This Is Me, com 14, e Vida, de 2016, que conta com a música “Você Me Comanda” com a participação da dupla angolana Teen Over e Yudi Fox.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Sabias que com a tua contribuição podes ajudar a BANTUMEN a crescer? O nosso objetivo é criar uma narrativa de empoderamento da comunidade negra lusófona e tu podes fazer parte deste processo. Inscreve-te no Patreon e faz a tua parte! Lembra-te da filosofia Ubuntu: “eu sou porque nós somos”.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".