O Village Underground, em Lisboa, abriu oficialmente as portas a artistas aos domingos, pelo menos até ao final do mês de outubro.

Com uma panóplia de concertos para animar os finais de tarde, o público deverá reservar os seus lugares em mesas para duas, quatro ou seis pessoas, de acordo com as normas aconselhadas pela Direção Geral de Saúde. Os concertos vão acontecer com uma capacidade máxima de 125 pessoas, no espaço exterior do recinto, cerca de dois mil metros quadrados.

Depois de Agir, no dia 4, com um concerto de solidariedade, no próximo domingo, 11 de outubro, será a vez de Chalo Correia, músico com mais de 20 anos de carreira entre a Europa, África, Macau e Brasil, subir ao palco. “Chalo Correia preenche o palco com uma sonoridade que transporta um legado dos “clássicos de Angola”, inspirado nas músicas das décadas de 60 e 70 mas com uma nova aborgadem do semba, numa linguagem diferente e maioritariamente acústico”, podemos ler no comunicado enviado à redação pela organização do evento.

A música angolana sobe assim ao palco no terceiro domingo do Cardápio Sonoro, com a harmónica que já é imagem de marca de Chalo Correia, pela sonoridade que define em particular o enquadramento nos estilos musicais provenientes da sua terra natal e que Chalo tem vindo a adaptar a uma corrente universal e contemporânea.

Na agenda, há ainda a registar as atuações de Fábia Maia, domingo 18, e Frankie Chavez, no dia 25.

Além destes concertos, o Village Underground tem programado até ao final do mês DJ sets, de quinta-feira a Sábado, entre as 19h e as 22h, numa programação que vai do hip hop, ao house e outros estilos mais abrangentes. Todos os eventos são transmitidos online em directo e ficam guardados no acervo deste espaço cultural, no canal Vimeo, que já conta com mais de 90 horas de música, para rever e ouvir. 

O Village Underground Lisboa é um espaço cultural e de coworking para as indústrias criativas, foi construído com contentores marítimos e dois antigos autocarros e situa-se no Passeio Marítimo junto a Alcântara.
Faz parte de uma plataforma internacional que emergiu na cena artística Londrina em 2007, tendo chegado a Lisboa em 2014.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.