MAD 283 está prestes a lançar um novo EP e, para nos prepararmos para o que aí vem, já podemos ouvir “Pokémon”, o novo single do artista em antevisão do seu próximo projeto.

Este novo trabalho é singular, considerando o portfólio do artista, e marca a diferença pelo conteúdo. Motivado pelos vários acontecimentos e movimentos sociais que assinalaram a atualidade nos últimos tempos, “Pokémon” fala sobre preconceito e violência social e, no refrão, dá-nos também um pouco do seu egotripping habitual sem referência a qualquer beef, por norma, sempre presente no estilo dos drillers.

Numa missão quase impossível, o objetivo é acabar com os estereótipos, porque, atualmente, “mesmo que pessoas como eu estejam a fazer diferente, a sociedade vai continuar a estereotipar”, explica-nos o artista.

“Na faculdade, as pessoas podem ver-me como bandido enquanto estou ali simplesmente para estudar. Tem bué de pessoas na zona que trabalham, mas os policias ainda os vêm como bandidos e gangsters. Isso não é uma cena da cor, conforme existem gangsters negros, existem gangster brancos e ciganos. A sociedade não pode ser assim [a definir o que somos pela cor]”, continua.

O single, produzido DJ Dadda, da Bridgetown Records, já está disponível para audição no Spotify e Apple Music, bem como em outras plataformas digitais.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".