O festival de cinema Porto/Post/Doc vai acontecer entre 20 e 29 de novembro e vai mostrar 25 filmes produzidos por portugueses ou oriundos de países de expressão portuguesa. Entre eles, o angolano Ar Condicionado, vencedor de prémios no Imagine Science Film Festival e San Francisco Dance Film Festival, realizados em Nova Iorque, Estados Unidos.

A destacar nesta nova edição do evento português, as duas competições, Cinema Novo e Cinema Falado, que agruparão grande parte desta programação numa selecção de 19 longas e curtas metragens de produção recente.

O filme “Ar condicionado”, produzido por Jorge Cohen, foi estreado no dia 6 de junho de 2020, e retrata um misterioso drama que acontece com os ares condicionados dos apartamentos de Luanda, suscitando nas personagens Matacedo e Zezinha o dever de desvendarem o mistério.

Ar Condicionado concorre ao Prémio SPAutores – Cinema Falado, para um prémio de três mil euros. Os filmes que concorrem na categoria têm no seu enredo histórias sobre o imaginário colonial do cinema Português desde o início do século XX como: (Fantasmas do Império); a Luanda pós guerra civil (Ar Condicionado); o som, a ecologia, a cidadania e a igualdade das políticas urbanas (SOA); os abismos da memória dos combatente da guerra colonial (Guerra) e a história de Morillo Sanchez, mulher de um republicano executada pela guarda espanhola (Noite Perpétua).

Na descoberta de novos talentos, a Competição Cinema Novo reuniu onze curtas-metragens realizadas por estudantes portugueses e por estudantes de instituições portuguesas de ensino superior, numa montra daquilo que melhor se faz nas escolas de cinema. Destaque ainda na programação portuguesa deste ano para a estreia, no Porto, de O Movimento das Coisas, obra perdida de Manuela Serra recentemente recuperada e restaurada.

O Movimento das Coisas é o primeiro e único filme da realizadora e documenta o quotidiano da comunidade rural de Lanheses, no concelho de Viana do Castelo.

O Porto/Post/Doc é uma associação criada a 26 de março de 2014 na cidade do Porto e que reúne pessoas de várias profissões, qualificações e idades, unidas na paixão pelo cinema. Não conformadas com o encerramento de salas de cinema, reuniram-se com o objetivo de dinamizar o cinema na cidade, em três níveis: voltar a trazer o público às salas, estimular a nova produção e criar um novo festival internacional de cinema, com particular incidência na área do documentário.

O Porto/Post/Doc: Film & Media Festival foi considerado um dos 25 festivais mais “cool” do mundo pela revista MovieMaker Magazine.