“Banger” diz-nos que cada mulher é perfeita, à sua maneira. Numa clara declaração de amor próprio, esta é a nova música de Sweetie, a nova voz angolana que deves manter no teu radar musical.

Sweetie é Witcha Francisco, uma cantora de 19 anos, de origem mumuíla (Huíla, Angola).

Durante o seu curto trajeto profissional, a jovem já esteve envolvida com músicos locais como L-Diey, Atlanta 366, Liu-Kid e Alkinoos. Atualmente, focada no lançamento de uma carreira a solo, a artista já lançou “Abençoar”, que relata uma história verídica de alguém que passava por momentos depressivos e crises existenciais. “Gravei a música como uma forma de dizer a essa pessoa que não está só e que tudo pode ficar bem”, explanou. O título foi gravado nos estúdios da Bwé de Vibes.

Com o objetivo de lançar um EP em breve, surge-nos então “Banger”, um afroswing que nos fala de autoestima, e como este deve ser considerado uma preciosidade que “cada mulher deve guardar dentro de si, independentemente de tudo”.

“Quis mostrar a todas as mulheres que sei como é ter baixa autoestima porque já passei por isso, mas superei e quis ajudar quem também tem esses problemas a superar através do que eu sei fazer melhor”, disse Sweetie.

Sobre o vídeo, a cantora confessou que foi um “trabalho árduo”. Durante o processo, de natureza tímida, para Sweetie não foi fácil encarnar a personagem para as câmaras. O tratamento visual foi elaborado por Hodiaz e Shinobe Vision.

Num futuro próximo, dentro do leque de artistas angolanos, Sweetie gostaria de poder trabalhar com nomes como Anna Joyce, Duc e Dji Tafinha.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Carrego a cultura kimbundu nas veias. A minha angolanidade está presente a cada palavra proferida. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O meu mantra é "o conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, portanto, não seja recluso da ignorância".