No mês que assinala a Consciência Negra, Alexandra Loras, ativista pela diversidade étnico-racial e ex-consulesa da França em São Paulo, brinda o público com Insconcientes Reveledos, um filme que mostra a formação histórica do brasileiro até ao cenário atual, retratando as cicatrizes e estruturas de um racismo ainda presente na sociedade.

São 70 minutos de filme, compilados numa narrativa sustentada por factos históricos e sociais, que fomentam o debate racial no contexto brasileiro. As questões e reflexões são trazidas à tona na voz de personalidades como a juíza federal Mylene Ramos, o antropólogo do afroconsumismo, Fernando Montenegro, a ex-ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, o historiador Leandro Karnal e a deputada federal, Tia Eron, que partilham as suas jornadas de vida e posicionamentos sobre a posição da pessoa negra na sociedade.

“Existe uma segregação racial cordial no Brasil e esse é um dos focos do Inconscientes Revelados. No documentário, expomos as raízes de comportamento dos brasileiros assim como os vieses de pensamento que constroem essa nação diversa, porém austera, em que ainda é latente a cultura do racismo”, afirma Alexandra Loras.

O documentário foi produzido com o apoio da Sanofi, gigante da indústria farmacêutica, que vê no projecto um reforço do compromisso já existente na criação de uma sociedade mais justa e igualitária. Neila Lopes, Líder do Comité de Diversidade & Inclusão da Sanofi, afirma que a empresa “acredita no poder da colaboração e da educação para criar ambientes que efetivamente incluam as pessoas, respeitando suas histórias e características”, reforçando ao mesmo tempo que “o apoio ao Inconscientes Revelados é um manifesto da companhia pela urgência em se discutir o combate ao racismo nas mais diversas camadas sociais”.

Desde 2010 que a Sanofi tem vindo a desenvolver um trabalho com o intuito de fomentar uma cultura de diversidade e inclusão. Algo que a empresa assume como sendo a sua prioridade e que tem sido tratado de forma estratégica por meio do desenvolvimento de ações para promover um ambiente corporativo cada vez mais plural.

O documentário Inconscientes Revelados foi produzido pela DreamBox, viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura com patrocínio da farmacêutica Sanofi, apoio da agência e coletivo M.O.O.C. (Movimento Observador Criativo) e realização da Secretária Especial da Cultura, Ministério do Turismo do Governo Federal.

Recorde-se que a autora do documentário, Alexandra Loras, também conhecida pelo trabalho desenvolvido no meio empresarial, atua há mais de duas décadas na área de transformação pessoal com o objetivo de
reequilibrar a diversidade étnico-racial de diversas organizações.

Inconformada por natureza, acredito que o sucesso é um processo de melhoria contínua. Apaixonada pelas liberdades e oportunidades que a vida tem para oferecer. Teimosa o suficiente para não desistir, inteligente o suficiente para saber quando desistir.
[Fancy_Facebook_Comments]