“Okavango”, de Ready Neutro, junta Shankara e X da Questão

No dia em que completa mais um ano de vida, o rapper angolano Ready disponibilizou o seu mais recente som intitulado “Okavango”. A música conta com a participação de Leonardo Shankara e X da Questão.

O single faz uma antevisão do próximo EP da Yebba, com o título Até ao Famoso Fim do Mundo.

Com o nome inspirado no rio Okavango, que nasce no planalto central de Angola e que forma uma fronteira natural entre Angola e Namíbia, a música é uma espécie de corredeira lírica, em que Neutro, Shankara e X são os protagonistas.

Desde o flow às barras pesadas, a música é uma exibição clara de todas as habilidades e forças liricais que cada um carrega dentro de si, trazendo à tona uma série de mensagens empoderadoras e algumas punchlines como forma de marcar o seu terreno.

“Okavango” tem um “beatasso” criado por Mad Superstar e a masterização e mixagem é de DH. O vídeo tem a direção de Dado Homem, filmagens de Padux e Dado e uma produção da Yebba Entertainment.

A música também marca o regresso de uma das vozes ausentes do movimento rap feito em Angola, Leonardo Shankara, que está a preparar um EP ainda sem título anunciado e cujo single promocional tem lançamento previsto em março.

O rapper não lançava música desde 2017 e o seu último trabalho foi a mixtape intitulada Ninguém Tem Dinheiro Para Comprar Isso, com 11 faixas e as participações de Jay Wime, Valecya, Ready Neutro, Extremo Signo, Dj NC e Raffix.

O próximo EP da Yebba, Até ao Famoso Fim do Mundo, vai contar com as novas vozes que passarão a fazer parte da label, como Dizombo, Áurea Cadete e Rivas.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

BANTULOJA
nv-author-image

Bruno Dinis

Carrego a cultura kimbundu nas minhas veias. Angolanidade está presente a cada palavra proferida por mim. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, por tanto, não seja recluso da ignorância.