Chamuscados

Chamuscados lançam Love Situations e estão a trabalhar para que “ninguém se esqueça” do seu nome

Os Chamuscados nasceram há uma década, com dez elementos, e da necessidade de materializarem a irmandade que nutriam uns pelos outros. Entretanto, com o passar do tempo e devido às vidas pessoais de cada um, o número foi reduzido para seis elementos, mas todos continuam a ser família.

Depois de terem passado pelo grupo de dança The Bounce Street Dance, D_Andros e Ery B decidiram entrar no mundo da música e criaram um grupo com um terceiro elemento. Para singrar, era necessário uma dedicação conjunta à nova atividade, o que por diversos motivos não aconteceu. Entretanto, em 2017, D_Andros saiu de Angola para ir viver no Reino Unido e, do seu lado, só em 2018 Ery B voltou a focar-se na música, com o lançamento do single “Casamento”, no dia do seu próprio enlace.

Em 2020, D_Andros lançou “Life”, o seu primeiro single a solo. Entretanto, os dois amigos de longa data decidiram voltar a juntarem-se para fazer música e a sede de microfone traduziu-se num projeto completo. “As cenas foram fluindo e surgiu a ideia de lançarmos um EP alusivo ao Dia dos Namorados, explicam à BANTUMEN.

Estivemos à conversa com a dupla, que lançou neste 14 de fevereiro novo trabalho, Love Situations, para perceber melhor como os dois benguelenses têm trabalho e quais os seus planos para o futuro.

O facto de serem os dois do Lobito [Benguela] facilita na concretização dos vossos objetivos.

Acho que, de certa forma, sim facilita na concretização dos nossos objetivos porque, além de querermos crescer como artistas, temos o mesmo objetivo que é mostrar que os putos da mesma terra, lá de uma cidade pequena de Angola, chamada Lobito, também são talentosos e não é só a nossa irmandade que nos mantém unidos. Acreditamos que se fosse com outras pessoas talvez não conseguiríamos se quer alcançar os nossos objetivos, independentemente de não estarmos juntos fisicamente.

Ery B, sendo casado e pai, como encontras tempo para as actividades musicais? 

A minha família tem bem patente os meus objetivos enquanto músico e apoiam-me completamente mas também sei dividir o Ery pai e marido do Ery músico. Por isso, nos tempos livres, dedico-me totalmente à família, pois ela vem antes de qualquer sonho ou objetivo pessoal.

E o que te levou a ganhar interesse pela música? E como tem sido a caminhada ate aos dias de hoje?

Sempre estive inserido na comunidade artística da minha cidade, especificando no lado hip hop, através da dança. Mais jovem, eu era tímido e comecei a dançar para expressar o que não conseguia dizer normalmente e afugentar alguns traumas de infância e acabei por fazer um upgrade da dança para a música.

A caminhada tem sido boa mas é claro que podia estar melhor. Ao mesmo tempo, respeito o ciclo do tempo e sou humilde de perceber que, com os anos, os EPs, os singles, tarde ou cedo essa caminhada fará sentido. Será o diploma que irei apresentar mais à frente, porque nada foi ao calhas, teve que se plantar e esperar o momento certo para colher.

D_Andros, estando fora de Angola há quatro anos, como tens feito para não te apaixonar por outros estilos musicais que abundam em Inglaterra?

Não digo que não me apaixonei pelos estilos musicais que cá existem, gosto sim, só não me via a fazer o mesmo estilo pelo menos não agora. Quem saba um dia possa lançar uma ou outra música, porque, no fundo, a versatilidade também importa no mundo da musica. E não só, eu não deixei de ouvir músicas Angolanas, seria algo impossível de fazer porque o amor que sinto pelo meu país é maior do que tudo.

Quais foram as dificuldades de trabalhar no EP LOVE SITUATIONS, considerando que se encontram em países diferentes? 

Tivemos muitas dificuldades no principio porque não tínhamos noção de como seria feito esse trabalho. Tínhamos a imaginação mas não tínhamos as ferramentas, portanto, começamos por gravar por partes, mixar e masterizar e só depois juntávamos, mas depois demos conta que não é assim que se faz. Os nossos produtores nunca fizeram isso antes e também era tudo novo para eles. Além de que o meu produtor é inglês, então ficou um pouco complicado para ele ajudar porque certas coisas não conseguia fazer porque não entende português. Mas, mesmo assim, por termos uma irmandade grande, conseguimos dar o nosso jeito e concluir o EP.

O que retrata o EP LOVE SITUATIONS, além do óbvio que é o amor?

O amor é um tema inesgotável. Por isso, decidimos que todos os anos teremos um EP e vamos fazer disso uma saga. Neste, abordamos os nossos pontos de vista e vivências em relação ao amor e nas várias vertentes no que ele pode representar.

Em quanto tempo trabalharam neste EP? E com quem estiveram a trabalhar na produção e pós produção? 

Começamos a trabalhar em novembro de 2020, a princípio era simplesmente para lançar dois singles sem intenção de lançar um EP, mas em dezembro acabámos por decidir que, pela a linhagem que estávamos a seguir nos singles, seria melhor lançar um EP focado mesmo no amor. A produção foi feita pelo Alcides, Lil Dex, TJ sky e Dj Davda Uk. A pós produção é de Gb Produções e arte é assinada pelo Yanick Campos.

Qual é a expectativa para a recepção do público?

A princípio não temos muita expectativa. Claro que nos sentimos orgulhosos do nosso trabalho e temos os pés bem assentes na terra mas temos que ser sinceros e humildes para poder encarar essa realidade, esperamos poder tocar mais almas através da nossa música e ganhar uma estabilidade no que concerne ao público. Esperamos que curtam do EP que foi feito com muito amor e carinho.

Em que plataformas vai estar disponível e de quem é a distribuição?

Vai estar disponível em todas as plataformas digitais e a distribuição é da Gb Produções, Chamuscados.

Que planos têm para este ano?

Tentar ao máximo romper barreiras e nos fixarmos no mercado nacional, seguindo para o internacional. Também estamos focados em lançar um ou dois vídeos ainda este ano, porque sabemos a importância da imagem nesse mundo da música. Temos muita coisa para partilhar com o mundo, ideias e pensamentos tanto a nível individual como parte do grupo. Vamos certificar-nos que ninguém se esqueça do nosso nome.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

BANTULOJA
nv-author-image

Equipa BANTUMEN

A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.