“Meu Amor”, o single dos Moikanos já tem videoclipe

Já está disponível o single “Meu Amor”, dos Moikanos. A música tem a produção de Dj Aka M e conta com o selo da TopMusic Angola.

O amor está no ar e o grupo angolano Moikanos acaba de brindar os seus fãs com uma música diferente daquilo que têm mostrado. Depois de “Lhe Traíram”, que fala sobre infidelidade, “Meu Amor” vem celebrar o amor com uma dose de muito romantismo à mistura.

“Meu Amor” é um afro-house diferente, porque é romântico. A música é uma espécie de dedicatória a todos os corações apaixonados. A música também é um lembrete sobre a importância que cada parceiro tem nas suas relações.

Além da música, o vídeo de “Meu Amor” conta também com um cenário diferente daquilo que os Moikanos têm apresentado. Gravado em Luanda, o vídeo foi rodado no meio da natureza com trajes tradicionais, onde os rapazes do Prenda contracenam com as modelos da One Model.

Tecnicamente, a música conta com os “adoços” escritos por cada elemento do grupo, o instrumental tem a assinatura do icónico produtor e impulsionador do estilo afro-house em Angola, Dj Aka M. O vídeo tem a realização de Parrudo Boy e conta com a produção de Paulo Benjamin e Eunice Bemba.

Há um ano, os Moikanos lançaram o hit “Lhe Traíram”, que hoje conta com mais de um milhão e meio de visualizações no YouTube e no Spotify tem mais de 58 mil streams.

O grupo tem uma série de sucessos na sua discografia, como “Debe Que Debe”, “Ninguém Foge”, “Impro”, “Já Quer Lutar”, entre outros.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

BANTULOJA
nv-author-image

Bruno Dinis

Carrego a cultura kimbundu nas minhas veias. Angolanidade está presente a cada palavra proferida por mim. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, por tanto, não seja recluso da ignorância.