Taytu Betul: A imperatriz estratégica da Etiópia | ©DW

Raizes Africanas: Taytu Betul, a imperatriz estratégica da Etiópia

  • by

Considerada uma das maiores líderes da Etiópia, Taytu Betul foi casada com o imperador Menelik II. A imperatriz foi fundamental na derrota dos imperialistas italianos e também fundou Addis Abeba, a capital da Etiópia.

Quem era Taytu Betul? 

Taytu Betul foi uma nobre etíope que, juntamente com o seu marido, o imperador Menelik II, governou a Etiópia de 1889 a 1913. É recordada pela sua resistência e pela vitória sobre as forças coloniais italianas e o seu poder político na corte. Foi ela que escolheu a região onde atualmente se situa a capital da Etiópia e lhe deu o nome de Addis Abeba.

Quem era Taytu Betul antes de se tornar imperatriz?

Taytu Betul nasceu numa influente família aristocrática ligada à dinastia Salomónica, por volta de 1840 ou 1851, de acordo com várias fontes, em Debre Tabor, não muito longe do Lago Tana. Casou-se pela primeira vez quando tinha apenas dez anos, o que não era invulgar para uma rapariga nobre nessa altura. Diz-se que teve uma série de casamentos infelizes até que finalmente se casou com o seu quinto marido, o Rei de Shewa, que mais tarde se tornou o imperador Menelik II. Na altura do seu casamento, ela já tinha acumulado algumas propriedades e riqueza. 

Taytu Betul: A imperatriz estratégica da Etiópia | ©DW
Taytu opôs-se veementemente a acordos com a Itália e ao Tratado de Wuchale, o que efetivamente fez da Etiópia um protetorado italiano

Como é que Taytu Betul se tornou tão poderosa?

O casamento de Taytu Betul e Menelik foi uma união política poderosa, uma vez que ambas as partes tinham alianças no norte e no sul da Etiópia, respetivamente. Quando se tornaram imperador e imperatriz, estabeleceram mais alianças com os vários governantes da região, em parte através de proezas políticas, em parte através da força militar. 

Contudo, Taytu Betul também fez questão de não ser apenas a esposa do imperador. Esteve sempre envolvida na maior parte das decisões políticas, diplomacia e campanhas militares. Os historiadores dizem que ela era vista como igual por Menelik e frequentemente assumia uma posição mais dura em certos assuntos do que o seu marido. 

Porque era Taytu Betul famosa?

Taytu Betul ficou famosa pelo seu papel de liderança na guerra contra a Itália, que culminou na batalha de Adwa. Taytu teria comandado 5.000 forças de infantaria e 600 de cavalaria na luta contra os italianos que tentaram colonizar a Etiópia. Taytu opôs-se veementemente a acordos com a Itália e ao Tratado de Wuchale, o que efetivamente fez da Etiópia um protetorado italiano. Quando Menelik e Taytu finalmente cavalgaram para a batalha contra os italianos, Taytu desempenhou um papel crucial na elaboração de estratégias e na condução das suas tropas para a frente de batalha. Obteve uma vitória significativa num forte de construção italiana em Mekelle, onde derrotou os italianos, cortando-lhes o abastecimento de água. 

Taytu Betul foi uma mulher invulgar para o seu tempo?

A Etiópia sempre teve mulheres poderosas, mães ou esposas de governantes, e muitas mulheres participaram em campanhas militares – talvez não pegando em armas, mas apoiando os exércitos através da cozinha, limpeza e manutenção da moral. Era menos comum que as mulheres comandassem tropas como fazia Taytu. Em algumas representações artísticas da Batalha de Adwa, ela é vista no meio de combates ferozes – não há, contudo, provas de que ela própria tenha alguma vez pegado em armas. Ela sabia ler e escrever, o que a tornou única. Taytu também gostava de jogar xadrez, gostava de música e tocava Begena, um instrumento de cordas também conhecido como harpa etíope.

Taytu Betul: A imperatriz estratégica da Etiópia | ©DW
Foi Taytu Betul que criou e deu o nome à capital da Etiópia, Addis Abeba, que significa “Nova flor”

O que aconteceu após a morte de Menelik?

Em 1909, Menelik teve um enfarte e Taytu assumiu a maior parte do trabalho político, governando efetivamente o próprio país. Após algum tempo, os seus rivais na família real pressionaram-na a desistir do poder. Alguns historiadores acreditam que ela se tinha tornado demasiado poderosa para o gosto de muitos na corte. 

Quando Menelik morreu em 1913, Taytu foi expulsa do palácio principal e a sua influência política desvaneceu-se. Ela morreu em 1917. 

Como é que se sabe tanto sobre Taytu Betul?

Sabe-se muito sobre Taytu Betul tanto através de tradições orais, como de documentos escritos e visuais. Pessoas da corte etíope, diplomatas estrangeiros, prisioneiros de guerra italianos e até cartas da própria Taytu descreveram-na ao pormenor. 

Um engenheiro suíço, Alfred Ilg, que trabalhou para o imperador e para a imperatriz, também documentou a dupla através de fotografias da vida palaciana. 

O parecer científico sobre este artigo foi fornecido pelos historiadores professor DoulayeKonaté, Lily Mafela, Ph.D. e professor Christopher Ogbogbo. A série “Raízes Africanas” é apoiada pela Fundação Gerda Henkel.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

nv-author-image

DW

A DW é a emissora internacional da Alemanha. Os programas de rádio e a oferta online da DW África dirigem-se aos países africanos de língua portuguesa - Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.