DJEFF

Djoon e Kazukuta unem-se para um Dj Live Set este fim de semana

A prestigiosa casa noturna parisiense Djoon e a editora angolana Kazukuta vão realizar um evento online a partir do YouTube. O evento vai começar às 15 horas dos dias 17 e 18 de abril, em formato DJ Live Set e contará com apresentação de Alpha, Meith, Homeboyz e Djeff.

Este fim de semana será especial para os amantes da house music. A Djoon convidou a editora angolana Kazukuta para dois dias de stream que vão ser transmitidos e disponíveis no Youtube. A Kazukuta vai levar artistas da casa, como é o caso de Alpha, Meith, os angolanos Homeboyz e também o líder da editora, Djeff.

Djoon é um club sediado em Paris que se descreve como “ponto de partida” para novos talentos do mundo da arte, e que também tem a responsabilidade de oferecer o melhor da house music. Na casa noturna, já pisaram nomes de peso do mundo da música moderna como Dixon, Âme, The Martinez Brothers, Djeff e Black Coffee.

A Djoon também criou a Djoon Expecience, que é um conceito que leva a diferentes localidades e festivais como Amsterdam Dance Experience e SuncéBeat, que acontece na Croácia.

A Kazukuta nasceu em 2011 e procura dar oportunidade a novos talentos. Sendo a primeira editora angolana focada única e exclusivamente em música eletrónica, a Kazukuta foi conquistando ouvintes em Angola e no mundo, passando a colaborar com nomes fortes da música eletrónica mundial e recebendo apoios de Tony Humphries, Boddhi Satva e Mr. V, entre muitos outros.

Recentemente, a editora carimbou o seu selo no álbum Ifarada, dos gémeos Homeboyz.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

nv-author-image

Bruno Dinis

Carrego a cultura kimbundu nas minhas veias. Angolanidade está presente a cada palavra proferida por mim. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, por tanto, não seja recluso da ignorância.