BAL: Já são conhecidos os adversários de Petro de Luanda e Ferroviário de Maputo

Já são finalmente conhecidos os grupos em que as 12 equipas africanas vão disputar a primeira edição da Liga de Basquetebol Africana, BAL. São no total três grupos e, entre estes, fazem parte os clubes Petro de Luanda, de Angola e o Ferroviário de Maputo, de Moçambique.

O Petro de Luanda foi sorteado no grupo B e irá disputar o pódio com a equipa maliana AS Police, a marroquina AS Salé e a camaronesa FAP. Já os moçambicanos, irão jogar contra os senegaleses do AS Douanes, Zamalek do Egito e os GS Petroliers da Argélia.

Cada equipa enfrentará uma vez as outras três equipas do seu grupo. As oito primeiras equipas vencedoras qualificar-se-ão para os playoffs que terão três rondas eliminatórias. As primeiras finais do BAL serão realizadas a 30 de maio.

Depois de ter sido adiada a estreia prevista para 13 de março do ano passado, a Liga Africana de Basquetebol foi reagendada para o dia 16 de maio em Kigali, no Ruanda.

Sobre o início desta nova etapa, Amadou Gallo Fall manifestou a sua satisfação face ao tão esperado arranque da liga. “Estamos entusiasmados com o facto de a temporada inaugural da Liga Africana de Basquetebol ter lugar na Kigali Arena de classe mundial”, disse Fall.

Devido à pandemia do coronavírus, a liga estava para ser disputada em Dakar, no Senegal, mas a organização decidiu transferir para Kigali, capital do Ruanda.

A organização tem criado “protocolos robustos de saúde e segurança” para todas as 12 equipas que vão competir no Ruanda.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

BANTULOJA
nv-author-image

Bruno Dinis

Carrego a cultura kimbundu nas minhas veias. Angolanidade está presente a cada palavra proferida por mim. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, por tanto, não seja recluso da ignorância.