King Reapa

King Reapa, quando Portugal e a essência PALOP se fundem no rap angolano

King Reapa é um turbilhão de competências que se cruzam numa mescla identitária entre Portugal e os PALOP. Músico, produtor e engenheiro de som, King é português, nascido em Faro, de mãe guineense e pai cabo-verdiano, criado no Reino Unido e com uma passagem de uma década por Angola.

Os estudos levaram-no a descobrir a sua paixão pelas artes, sobretudo a música, mas numa vertente de puro entretenimento, pois o seu objetivo era seguir carreira em banda desenhada e animação de vídeo.

Depois de ter vivido no Reino Unido, em 2008 voltou para Portugal para junto do pai, que o convidou para ir trabalhar em Angola ao seu lado. Essa experiência levou-o numa aventura de auto-conhecimento profunda em relação à música, visto que trabalhou em estúdio como engenheiro e produtor.

Entretanto, juntou-se ao clã Reais Camaradas, uma irmandade, que tinha como objetivo “criar e glorificar o bom rap”, para voltar a inspirar o respeito que o movimento teve outrora. Em 2013, lançou o seu primeiro projeto, Born & Bred, uma mixtape com 23 faixas gravadas totalmente em freestyle, em apenas três dias.

Em 2014, King Reapa produziu e participou nos projetos Minutos Antes e Hora Quente, de Lil Jorge, também membro dos Reais Camaradas. Passou pelo programa de YouTube XL Cypher, com Délcio Dollar e Altifridi, na altura conhecido por Fredh Perry e Niiko.

Depois, em 2019, lançou Practice Hours Vol 1, com 23 faixas, que leva o ouvinte numa viagem pelo tempo, onde a evolução de King Reapa é evidente e emerge-nos numa narrativa profunda que defende a “prática para a perfeição”.

Atualmente, o artista forma dupla de produção com Luzingo, intitulada os Matumbeats. Em agosto do ano passado, King lançou o EP God Mode, com três faixas em inglês e três em português. Ainda em 2020, também saiu o EP Quarentine Sixteens, com cinco faixas que são remixes de músicas conhecidas, onde King aborda temas relacionados com a covid.

Entretanto, com “Recreio”, um feat com Lil Jorge & Killa, o artista participou no World Emcee Cypher, nos Estados Unidos, juntamente com outros rappers como Vulcânico Híbrido e Das dos Army Squad.

Neste momento, King tem trabalhado arduamente para preparar conteúdo novo para lançar ao longo deste 2021, como é o caso do videoclipe “Broke in a Minute”, um remix da música de Tory Lanez, que foi adaptada para “Home for a Minute”.

A música fala sobre o tempo que temos ficado em confinamento, a ameaça constante de uma nova vaga da epidemia, os hábitos que temos ganho com o facto de passarmos mais tempo em casa. A música faz parte da saga Quarentine Sixteens.

O EP Quarentine Sixteens foi lançado no início da pandemia em 2020, todas as faixas foram escritas e gravadas num único dia, após algum tempo de confinamento e com uma melhor percepção da gravidade da situação e as suas consequências.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com

BANTULOJA
nv-author-image

Eddie Pipocas

Founder and Editor-in-Chief at http://bantumen.com | My biggest ambition is to perpetuate stories on the web