BAL: Locomotivas levam a melhor sobre o Douanes

Após perder o primeiro jogo contra o Zamalek do Egito, os moçambicanos venceram nesta quarta-feira o AD Douanes por 88-74. Agora, ocupando a segunda posição do grupo C, a equipa moçambicana pode chegar à segunda fase da Liga Africana.

Foi com muita força que o Ferroviário entrou no primeiro período em vantagem sobre os senegaleses, chegando até ao final vencendo 21-12.

No segundo quarto a disputa foi intensa. A boa produtividade e a marcação serrada dos jogadores do Douanes fez com que os moçambicanos marcassem menos pontos, conseguindo os senegaleses chegarem a vencer por 2 pontos mas, mesmo assim, os “locomotivas” foram superiores e chegaram até ao intervalo a vencer por 38-37.

O terceiro período começou com maior motivação. O período foi marcado pelo bom desempenho dos senegaleses do AS Douanes que impunham a sua posição com arremessos de dois pontos, conseguindo chegar ao empate com o Ferroviário. Mas os moçambicanos continuavam invictos no resultado, terminando o período vencendo por 62-56.

O último período foi ligeiramente mais leve para o Ferroviário de Maputo, que logo no início conseguiu manter a sua vantagem e o seu desempenho refletiu-se no resultado que, finalmente, deu vantagem sobre os senegaleses por 88-74.

O “homem do jogo” foi o espanhol Álvaro Masa, que somou 25 pontos, 9 ressaltos e 4 assistências.

O próximo jogo do Ferroviário de Maputo tem data marcada para o dia o dia 22 de maio contra os GS Pétroliers da Argélia.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

BANTULOJA
nv-author-image

Bruno Dinis

Carrego a cultura kimbundu nas minhas veias. Angolanidade está presente a cada palavra proferida por mim. Sou apologista de que a conversa pode mudar o mundo pois a guerra surgiu também de uma. O conhecimento gera libertação e libertação gera paz mental, por tanto, não seja recluso da ignorância.