Ar Condicionado, filme de Fradique | Geração 80

Arquiteturas Film Festival: “Ar Condicionado” – O Matacedo de Fradique

Foi o filme vencedor na categoria de ficção e levou o prémio para Angola. O enredo de Ar Condicionado é familiar para quem vive e trabalha na Baixa de Luanda. Passei muito tempo naquele quarteirão e nuns mais abaixo até ao Baleizão. 

Numa primeira fase, quando vivia na Maianga e depois quando me mudei para Talatona e tinha de fazer tempo para subir, que na realidade é descer para Luanda Sul, rever o prédio do Hotel Globo animou e as saudades aumentaram. 

A História de Matacedo e Zezinha é o lugar comum da maioria dos luandenses que vivem e trabalham na cidade. As secretárias do lar que vêm todos os dias de táxi dos arredores da cidade, os meninos de rua que se batem e insultam por uma oportunidade de levar ou carregar alguma coisa para a sua sobrevivência e uma violência que, vista à lupa, é apenas a única condição que os mantém vivos e ativos.

Matacedo, a personagem principal e veterano de guerra, é um guarda como tantos outros que vive no prédio onde trabalha e que, se lhe perguntarmos se tem folgas, não nos vai responder. Isto já sou eu a divagar como o filme nos faz entrar numa realidade e imaginário paralelos.

Ar Condicionado e os seus mistérios é a pura verdade da realidade que a cidade de Luanda se tornou. Um espaço sufocado por estas máquinas que, de certeza já causam mudanças climáticas ao próprio ecosistema e nunca se vai pensar nisso num futuro próximo, já que a ambição desmedida é possuí-los. 

Aí entra o Kota Minó, outro veterano que herdou aquela loja do tempo colonial e nos faz viajar pelo mundo da fantasia de nós todos. Aquele que era para ser. 

Valores, sonhos e frustração, com uma banda sonora incrível de Aline Frazão. Não era para rimar, mas aconteceu. 

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

nv-author-image

Magda Burity

Comunicadora nata, ativista e antiracista Magda Burity soube, desde cedo, que queria ser jornalista. Com carreira em Moçambique e Angola, é em Portugal que tem desenvolvido os mais recentes projetos dedicados ao Media Coach, digital e empreendedorismo. País onde nasceu e regressou há 4 anos depois de 15 anos em África.