Monique Evelle, líder do empreendedorismo negro lusófono que potencia a comunidade

Monique Evelle tem 26 anos, é preta, da periferia, exibe com denodo uma coroa de dread locks e o seu nome faz parte da lista das personalidades brasileiras mais influentes com menos de 30 anos, de acordo com a revista Forbes.

Jornalista, empreendedora e investidora, na sua longa lista de feitos destacam-se o facto de ser um dos pilares do início do mercado de conteúdo e influência no Brasil, a publicação do livro Empreendedorismo Feminino: olhar estratégico sem romantismo (Memória Visual); ser sócia da Sharp, um hub de inteligência cultural e, agora, a sua mais nova empresa, a Inventivos, foi selecionada para receber um investimento do Black Founders Fund, uma iniciativa do Google para investimento em startups fundadas e lideradas por empreendedores negros e negras.

Na base do seu crescimento profissional está um grupo estudantil, criado quando tinha apenas 16 anos, dedicado a atividades sociais relacionadas a Educação e Comunicação em Direitos Humanos, na sua comunidade. Hoje, esse projeto, denominado Desabafo Social, é um laboratório de tecnologias sociais aplicadas à geração de rendimento, comunicação e educação.

Em Portugal, considerando a falta de empreendedores negros de sucesso comprovado e que não sejam impermeáveis à exposição pública com o propósito de passar o testemunho, é fácil olhar para o Brasil, onde a pauta do empoderamento negro existe há décadas e consegue, apesar das barreiras, penetrar em vários setores sociais e políticos. Por isso, Monique Evelle é a convidada deste novo episódio do BANTUMENPodcast, onde podemos ouvir na primeira pessoa por que questionar é o primeiro passo para se encontrarem soluções; como as disputas de estatuto entre negros são fruto do racismo; como aprendeu a controlar as emoções para dar lugar aos negócios; a perversidade do capitalismo e a necessidade de afinar uma espécie de código de honra na sua estratégia de business e como a própria BANTUMEN transformou-se numa ponte de influência e ligação entre os vários povos negros falantes de português e que estimula e contagia positivamente as relações entre a comunidade.

Faz play abaixo para ouvires o episódio completo e deixa-nos a tua opinião sobre os temas abordados nas nossas redes sociais.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com

nv-author-image

Equipa BANTUMEN

A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.