Os artistas moçambicanos mais ouvidos no Spotify

No primeiro trimestre deste ano, o serviço de streaming musical Spotify, com vista a conquistar uma audiência mais vasta, anunciou a sua chegada a mais países, entre os quais Moçambique. Um anúncio que serviu de esperança num seio artístico ávido de modernização e que resultara numa corrida dos artistas à melhoria do seu posicionamento nas diferentes plataformas digitais.

Enquanto uns procuravam pela inserção e posicionamento, outros já tinham usavam o Spotify como uma ferramenta para divulgar as suas canções e assim alcançar mais público ou diferentes mercados. Numa viagem neste que se configura como um dos maiores repositórios musicais a nível mundial, a BANTUMEN traz a lista dos músicos moçambicanos mais ouvidos na plataforma, sendo a lista liderada por fazedores do estilo Afro-house, Kizomba/Tropical, Jazz e do estilo Moçambicano Marrabenta.

DJ Tarico

Integrante do grupo Afro Madjaha, o artista aparece no Spotify com um marca de 213.683 reproduções mensais. O artista conta na sua discografia com o álbum Moz Piano (vol.1 & 2) e disponibilizou, recentemente, o remix do sucesso “Yaba Buluku”, que canta ao lado de Burna Boy, resultado da sua integração na Geobek Records, label responsável de certa maneira por catapultar os moçambicanos Lay Lizzy (rapper) e Ell Puto (produtor) a nível africano.

Boy Teddy

Com um total de 80.400 reproduções, Teddy Manuel de Carmen ou simplesmente Boy Teddy ocupa a posição do segundo moçambicano mais ouvido na plataforma. A sua carreira conta com sucessos como “Number One”, ao lado do músico moçambicano Mr.Bow, “Já Decidi” e “Teu Corpo” que canta ao lado do angolano Big Nelo.

Messias Maricoa

Numa corrida ao alcance de Boy Teddy, Messias Maricoa conta com um total de 77.840 reproduções. A sua popularidade despontou com o som “Nhanhado”, que dá nome ao seu álbum de estreia, e é ao lado de Boy Teddy e demais artistas, um dos que conquistou no passado a Europa através das suas composições. O seu último lançamento é o single “Meu Hood”, faixa em que o artista exalta e orgulha-se das suas origens.

Gasso

Gasso Franco ou Poeta dos 30, como se faz conhecer atualmente, estampa no seu perfil a arte da música. “O Jeito dela”, som responsável pelo seu boom, conta com 30.518 reproduções mensais. O seu repertório musical integra no Spotify faixas que marcam a sua carreira como “Não Quero Desistir”, “Mesmo Com Problemas” e “Ferramenta”.

Filomena Maricoa

“Dor de Cotovelo”, “Teu Toque” são algumas das faixas com mais reproduções e que levam Filomena ao trono da voz feminina da música moçambicana com mais “plays”, contabilizando no no total 25.546. As suas composições são uma celebração do amor, dando destaque a situações de relações fracassadas ou à mercê de uma segunda chance.

Claúdio Ismael

Atualmente nos preparativos para o lançamento do segundo volume do seu primeiro álbum, Sonho e Vida, Claúdio Ismael ou Mr. Mellody conta com um total de 24.545 ouvintes mensais. o artista tem como último lançamento o som “Está a Postar”, que marca o seu avanço do próximo álbum.

Jimmy Dludlu

Dludlu é uma das vozes a citar quando se fala do Jazz ou Afro-Jazz em Moçambique e no continente. Conta na plataforma com 15.154 ouvintes mensais. No mês passado lançou o seu décimo trabalho discográfico, intitulado History in the Flame. Nas lista das suas músicas mais reproduzidas estão “Point Of View”, “Africa Africa” e Walk Of Life”.

Wazimbo

Com 10.446 reproduções, Wazimbo, ou Humberto Carlos Benfica, entra na lista representando e dando peso à Marrabenta, sendo também uma das vozes colossais do estilo moçambicano. Os seus maiores sucessos são “Nwahulwana”, “Sapateiro” e “Nyimba ya Dota”.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

TRABALHO DE PRETO
nv-author-image

Johnson Pedro

Jornalista Cultural e criativo na área da comunicação, encontra no jornalismo a arma para a documentação da cultura.