Waldemar Bastos

Festa do Avante! com homenagem a Waldemar Bastos e cartaz rico em música negra

A edição da Festa do Avante de 2021, que acontece como habitual na Quinta da Atalaia, na freguesia da Amora (Portugal), já tem o seu cartaz divulgado. Com um programa artístico multidisciplinar, este ano, comunistas, simpatizantes, amantes do festival e curiosos vão poder ver e ouvir um leque variado de atuações de artistas com raízes africanas.

Aline Frazão (voz, guitarra), Mayó (baixo), Marcelo Araújo (bateria), Diogo Duque (trompete e flauta) e Marco Pombinho (piano e teclados) vão atuar com o espetáculo Ndapandula [obrigado em umbundu], em tributo a Waldemar Bastos, ícone de música angolana falecido a 10 de agosto de 2020. O concerto vai contar também com as participações especiais de Mick Trovoada (percussão), a voz de Karyna Gomes e as vozes e guitarras de Sara Tavares e Toty Sa’med.

Paulo Flores também integra o cartaz e convidou Yuri da Cunha, Prodígio e Manecas Costa para subirem ao palco consigo. Além das músicas sobejamente conhecidas e amadas pelo seu público, “Ti Paulito” vai provavelmente apresentar o seu novo trabalho, Independência.

Prétú Xullagi também vai animar o palco da Festa Avante!, com os seus convidados Scurú Fitchadú, Tristany e Cachupa Psicadélica. Xullagi leva ao evento o seu multiverso sónico, que se cruza com uma letra que reflete sobre o pan-africanismo, afro-futurismo e amor, numa apresentação com uma estética visual que incorpora a dança e o teatro.

Há ainda espaço para os Bateu Matou, o novo projeto que junta Riot (Buraka Som Sistema) aos também portugueses Costa e Quim Albergaria. O trio de bateristas e produtores lançou recentemente o primeiro álbum, Chegou, onde vários convidados (incluindo Héber dos HMB) reforçam o lado de canção de cada um dos temas. O grupo Bateu Matou afirma que trabalha “com colaborações que trazem para a música a experiência, a vida, as histórias, as línguas e os dialetos de um Portugal plural”.

O Festival Avante! acontece anualmente desde 1976, sendo o primeiro evento do género a realizar-se em Portugal.
É aberto ao público, mediante um título de entrada de valor reduzido e que dá acesso a um vasto programa de âmbito alargado. Os visitantes podem assistir a inúmeros concertos de música de vários géneros musicais, em diversos palcos de diferentes dimensões, a animação de rua, dança, peças de teatro, cinema, além de dezenas de debates políticos, exposições políticas e de artes plásticas, de ciência, entre outras apresentações.

Relembramos-te que a BANTUMEN disponibiliza todo o tipo de conteúdos multimédia, através de várias plataformas online. Podes ouvir os nossos podcasts através do Soundcloud, Itunes ou Spotify e as entrevistas vídeo estão disponíveis através do nosso canal de YouTube.

Podes sugerir correções ou assuntos que gostarias de ler, ver ou ouvir na BANTUMEN através do email redacao@bantumen.com.

TRABALHO DE PRETO
nv-author-image

Equipa BANTUMEN

A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.