21 Savage foi solto sob fiança nesta terça-feira, 12, nove dias depois da sua detenção por residir de forma ilegal nos Estados Unidos. Os advogados do cantor não especificaram se o rapper de 26 anos, cujo nome de batismo é Sha Yaa Bin Abraham Joseph, ainda pode ser expulso do país americano, nem quando deverá comparecer à Justiça ou à Polícia Migratória.

Os advogados também enviaram uma mensagem de agradecimento aos seus fãs. Embora não tenha podido ir à cerimónia dos Grammy, em Los Angeles no domingo, 21 Savage “estava a pensar neles e está agradecido pelo apoio de todos”. O rapper, cujo último álbum I Am> I Was esteve no início de janeiro no topo das vendas nos Estados Unidos, concorria a dois prémios no evento.

Uma petição lançada depois da sua prisão para exigir a sua libertação foi assinada por mais de 460.000 pessoas. Muitas estrelas aderiram, entre elas músicos como Kendrick Lamar, Post Malone e Jay-Z, além de figuras políticas como a jovem estrela democrata do Congresso, Alexandria Ocasio-Cortez.

Muitos fãs de 21 Savage descobriram com a sua detenção que este não era americano, mas britânico, embora viva em Atlanta desde a infância. Os seus advogados explicaram que o rapper estava em situação irregular desde a expiração de seu visto, em 2006, quando ainda era menor de idade, apesar de em 2017 ter pedido uma renovação que estava pendente. Uma situação comparável à dos 1,8 milhão de jovens que chegaram aos Estados Unidos quando menores e que ainda são indocumentados enquanto adultos.