Nos centros comerciais sul-africanos, as mulheres vão poder urinar de pé, após testes efetuados com sucesso a um novo tipo de urinol.

Os novos urinóis femininos foram testados em cinco escolas, em KwaZulu-Natal, durante  duas semanas, e 79% das alunas, num total de 236 entrevistadas, declararam que a sua experiência foi boa. Apenas uma considerou que a sua experiência foi má.

Um dos aspetos mais apreciados foi o facto de a limpeza se fazer sem a necessidade de se tocar no mictório, bem como a privacidade e segurança.

“As escolas são um cenário potencialmente ideal para testar mictórios femininos, e as crianças adaptam-se mais facilmente a novas tecnologias”, disseram os líderes do projeto Partners in Development num relatório sobre o estudo.

“Se as escolas foram um mercado de sucesso, esta tecnologia poderá ser expandida para atender às necessidades de WCs públicos em shoppings e praças de táxis, entre outros locais”.

No entanto, uma pesquisa menor em vários pontos de táxi de Pietermaritzburg sugere que as mulheres adultas seriam menos propensas a experimentar mictórios em pé.

Os mictórios testados foram da Weestands, fornecidos pela empresa LiquidGold, que principalmente adapta mictórios masculinos existentes com válvulas de retenção para uso sem água.