Nos últimos anos, no concelho de Vila Franca de Xira, na freguesia portuguesa de Vialonga, tem surgido uma nova geração de rappers, como menos de 25 anos. Ali Badd é nome que se junta a Zara G, Giovanni ou Dero Vibez, que estão a dar muito que falar no mundo do hip-hop lusófono.

O nome Ali Badd começou a ser ouvido no início do ano com o single “Eristoff”, que está disponível no canal de YouTube da Caverna. Pouco tempo depois assinou contrato com a produtora MP Pro Muzik, de Moreno Maestro, que tem conduzido e apadrinhado a carreira de Badd deste então.

Três novos singles disponível nas plataformas digitais e no YouTube, todos acompanhados de videoclipe, são o passaporte de entrada na cultura e o visto que lhe torna numa promessa do hip-hop em Portugal e na lusofonia.

Ali Badd está a provar o seu potencial, entre a elite do hip hop.

O rapper tem 21 anos, nasceu em Portugal, tem pais angolanos e viveu também em Angola nos primeiro anos da sua infância, embora já não tenha muitas lembranças desta altura da sua vida. Contudo, ainda bebe muito da música feita por lá principalmente, do rap feito pelos nomes grandes da nova escola como TRX Music e Mobbers.

Ali Badd
Foto: BANTUMEN

Foi em Vialonga que criou a sua base como rapper, muito sobre influência do que se vive no bairro de Vila Franca de Xira e pelo bom momento que se vive atualmente no hip-hop em Portugal, onde nomes como Phoenix RDC têm ascendido ao pódio do movimento. Da mesma zona, há ainda Zara G, elemento dos Wet Bed Gang, e um dos principais nomes da nova geração de rappers.

Sobre as semelhanças que se ouvem no estilo entre as faixas feitas no bairro, o rapper defende que é um estilo muito próprio da Vialonga, também conhecido por V Block, que acaba por ser transmitido entre todos.

Ali Badd tem preferência em fazer música a solo para poder criar a sua base de fãs, mas promete trazer algumas faixas com participações do pessoal do seu bairro.

Confere abaixo a entrevista ao rapper em vídeo, onde passamos a conhecer melhor o rapper, o porquê do seu nome e também como começou a trabalhor com o seu atual produtor. Acede também ao nosso canal IGTV, onde poderás assistir a uma versão diferente da entrevista, onde Ali onde fala das suas origens angolanas e do porquê de estar afastado do seu país.