Provavelmente nunca ouviste falar no termo FUPA até hoje. Ora, FUPA é nada mais do que fat upper pubic area ou na gíria fat upper pussy area, que traduzido à letra é gordura acima da zona pública. Isto nada mais é do que aquela bolsinha proeminente abaixo da zona abdominal, que se ganha com a gravidez ou obesidade.

Esta pequena aula de anatomia surge na sequência do grande alarido que se tem vivido na Internet desde ontem, 6, por causa deste assunto. Tudo porque Beyoncé disse na sua entrevista de capa da Vogue, de setembro, que também tem uma FUPA e que não está pronta para se livrar dela.

Ora essa afirmação choca de frente com duas coisas: primeiro, ninguém em tempo algum se iria lembrar de utilizar uma expressão tão street numa revista como a Vogue, e logo na edição de setembro, que é só a mais aguardada do ano e que assinala a rentrée do mundo da moda.

“Até hoje meus braços, ombros, seios e coxas estão mais cheios. Eu tenho um pequeno “saco de mãe”, e não tenho pressa em me livrar dele. Acho que é real. Quando eu estiver pronta para voltar a ter um six pack, ativo o meu modo fera e dou duro até conseguir. Mas agora, a minha pequena FUPA e eu sentimos que estamos destinados a estar juntas.” Foram estas as palavras de uma das mulheres mais admiradas no mundo inteiro. Resultado: se Queen Bey tem uma, todas as mulheres podem orgulhosamente exibir a sua sem medo de serem estigmatizadas. Começa-se assim, cada vez mais, a desconstruir a beleza feminina, dando espaço e tempo de antena a todos os tipos de corpos.

São pequenos gestos como este que aproximam estas super estrelas do cidadão comum.  Porque no fundo, somos todos carne e osso e enfrentamos mais ou menos os mesmos tipos de problemas, a diferença é que uns com mais e outros com menos dinheiro.

 

 

Escrevo aqui e ali. Gosto de estórias que marcam histórias. Sou de Portugal, com veia cabo-verdiana, dois pés em Angola e coração em França. Africanidade, estilos de vida e música são os temas que me prendem a atenção, mas gosto de me distrair com politiquices e bizarrices.