A Academia de Hollywood e a televisão ABC anunciaram hoje que a 91.ª edição dos Óscares vai decorrer sem um apresentador principal, algo que não acontece na gala do cinema há 30 anos.

A confirmação chegou por parte de uma relações públicas do canal televisivo, que vai transmitir a cerimónia nos Estados Unidos, e da própria organização, de modo a esclarecer um assunto que tem sido alvo de especulação nas últimas semanas.

O comediante Kevin Hart, um dos mais populares no país, anunciou em 04 de dezembro que seria o anfitrião dos Óscares, que serão entregues em 24 de fevereiro.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por The Academy (@theacademy) a

Após o anúncio do comediante, as redes sociais lembraram mensagens antigas com conteúdo homofóbico de Kevin Hart que foram publicadas na rede social Twitter, entre 2009 e 2011.

Confrontado com as críticas, Hart decidiu responder, mas depois acabou por pedir desculpas e renunciou a dirigir a gala.

A última vez que os Óscares decorreram sem um apresentador principal foi em 1989, quando o produtor Allan Carr decidiu reunir uma série de nomes ilustres no palco em vez de ter um único apresentador.

A Academia anunciou também que o venezuelano Gustavo Dudamel e a orquestra filarmónica de Los Angeles irão atuar durante o segmento cerimónia destinada a homenagear as pessoas da indústria cinematográfica que morreram nos últimos meses.

A organização anunciou alguns nomes que vão apresentar a cerimónia, como Awkwafina, Daniel Craig, Chris Evans, Tina Fey, Whoopi Goldberg, Brie Larson, Jennifer Lopez, Amy Poehler, Maya Rudolph, Amandla Stenberg, Charlize Theron, Tessa Thompson e Constance Wu.