Desde os anos 1960 que a inigualável Nike tem vindo a vestir e a calçar muitos à volta do globo, com a vontade de marcar a diferença no mundo do desporto e na vida das pessoas. E hoje, a marca celebra 30 anos do famoso slogan “Just Do It.”

E uma das caras que faz parte da campanha desta celebração é Colin Kaepernick, que em 2016 ajoelhou-se durante o hino dos Estados Unidos – que toca sempre antes de jogos de futebol americano da NFL – em protesto contra a violência e agressões aos afro-americanos por parte da polícia, tantas vezes racista, nos Estados Unidos da América.

Colin, sem querer, começou um movimento e outros atletas juntaram-se à causa, o que deu mais impulso e visibilidade ao protesto silencioso e enfureceu figuras importantes como Donald Trump, entre outros da extrema direita americana.

Desde então que Kaepernick não tem jogado e não chegou a assinar nenhum contracto com nenhuma equipa da NFL, apesar dessa situação o atleta continuou a lutar pela sua causa e pelo que acreditava.

Agora, é uma das figuras em destaque na nova campanha da Nike. O rosto de Colin Kaepernick surge com o hashtag #JustDoIt acompanhado da frase “Believe in something, even if it means sacrificing everything”, em português: acredita em algo, mesmo que isso implique sacrificares tudo.

Além de Colin Kaepernick, outros atletas como Odell Beckham Jr. e Serena Williams fazem parte desta campanha que pretende celebrar os maiores do mundo do desporto e que são a cara da mudança.

Recentemente, proibiram a tenista Serena Williams de usar o seu fato preto inspirado no filme “Black Phanter”, no French Open, e a Nike usou esse acontecimento como parte da campanha com a frase: “Podes tirar o fato a um super-herói, mas nunca poderás tirar os seus super-poderes”.

De acordo com um comunicado da Nike, já tinham um contrato publicitário com a atleta, que estava a chegar ao fim. Mas, no caso de Kaepernick, tiveram de renegociar um novo para esta campanha em específico.