Amamentar é algo que o ser humano faz desde que existe. É natural e necessário para a sobrevivência da espécie mas, por incrível que pareça, nem sempre este acto é encarado como tal. Sobretudo em países desenvolvidos. Amamentar tornou-se num bicho de sete cabeças esquecido em detrimento de produtos artificiais e em público é quase visto como um acto perverso.

Isto acontece mesmo quando a Organização Mundial de Saúde aconselha o aleitamento materno exclusivo até aos seis meses e, se possível, como complemento até aos 24 meses.

Nesta senda, uma marca de cremes para mamilos e bombas de leite e uma fotógrafa criaram uma série de fotografias que retratam mães a alimentarem os seus bebés com o que de mais natural existe: leite materno. As imagens foram captadas em vários países, culturas e circunstâncias.

A Lansinoh encomendou o trabalho e Tina Boyadjieva, fotógrafa búlgara, percorreu 18 países para captar imagens para a “Amamentação ao Redor do Mundo“.

“Boyadjieva acredita firmemente na inclusão internacional, inter-racial, respeito, igualdade e poder feminino, e tem como objetivo demonstrar isso mesmo nesta campanha através deas suas imagens cativantes, e não poderíamos ser mais gratos por ela fazer parte desta campanha”, disse Kevin Vyse-Peacock, diretor executivo da Lansinoh.