A cidade de Évora, no sul de Portugal, vai receber a primeira edição do festival Évora África, de 25 de maio a 25 de agosto de 2018.

Serão mais de 30 os artistas do continente africano que vão passar pela evento, no Palácio de Cadaval, para dar a conhecer a sua cultura e património artístico. República Democrática do Congo, Costa do Marfim, Madagáscar, Mali, Moçambique, Senegal, África do Sul, Burkina Faso, são alguns dos países que vão estar representados no festival, através desses artistas convidados.

Festival Évora África

Vai ser “uma grande festa da cultura africana”, que contará “com um diversificado programa de exposições, concertos, performances, conferências e Djs”, indica a organização por meio de um comunicado.

“O principal objetivo do festival é, ao longo dos três meses de duração, fortalecer os laços culturais, históricos e o intercâmbio entre África e a Europa, celebrar novas expressões artísticas urbanas e as suas influências sobre a cultura portuguesa”, sublinha a organização.

O público vai ainda poder assistir à exposição African Passions, “com alguns dos maiores representantes da arte africana contemporânea”, exposições de fotografia e concertos.

“O programa de música que representará, tal como a exposição African Passions, uma jornada entre a tradição e a herança africana, entre a continuidade e a mudança, decorrerá não só no Palácio de Cadaval, mas também em locais simbólicos como o Templo Romano de Diana, o Cromeleque dos Almendres e a Biblioteca Pública de Évora”, indica a organização.

Os artistas presentes nesta primeira edição são: Orquestra Ballaké Sissoko, Costa Neto, Irmãos Makossa, Rita Só, Johnny Cooltrane, Mbye Ebrime, DJ Rycardo, Companhia Xindiro e os jovens dançarinos, Celeste Mariposa, Bambaram, Bassekou Kouyate, Selma Uamusse, Bubacar Djabaté, Áfrika Aki, The Zaouli de Manfla, Miroca Paris, DJ Ibaaku, Sara Tavares, Congo Stars de Vibration, Dj Lucky e Lady G Brown.