Já começou a contagem regressiva para as 00h do dia 1 de janeiro de 2019, hora em que as taças de champanhe se cruzam, se fazem chamadas para aqueles que nos são próximos para lhes fazer chegar os nossos melhores desejos e, claro, hora em que a pista de dança se ilumina para acolher as nossas coreografias frenéticas até de manhã.

Festejar a virada do ano até o corpo não aguentar mais é o plano da grande maioria dos comuns dos mortais e aqueles que trabalham no dia primeiro dia do ano não têm de se excluir deste momento festivo com medo de uma possível ressaca ou fadiga extrema.

Passar uma noite sem dormir antes de ir trabalhar, não é tão complicado quanto parece, mas é necessário seguir um protocolo à risca. É o que explica Clémence Peix Lavallée, especialista do sono e fundadora do site Bien Relax. Contactada pelo The HuffPost, a especialista explica que tudo é uma questão de “horas gastas acordadas”.

“Uma noite sem dormir, isto é, o equivalente a 18 horas consecutivas de sono ativo, o que equivale a ter um nível de álcool no sangue de 0,5 grama por litro de sangue”, diz Lavallée. Riscos de acidentes na estrada durante a condução e incidentes quando estás na frente do computador. ” E isso, sem sequer tocar numa única gota de álcool.

Para evitar esse tipo de situação, Clémence Peix Lavallée recomenda uma coisa. “Temos que dividir as horas de sono”. O objetivo é chegar à noite de réveillon descansado. Uma sesta antes de ir para o local da festa é o recomendado. E não é uma sesta qualquer. Para que esta surta o efeito desejado, deverá ser de pelo menos 1h30. Lavallée explica ainda que este descanso de “emergência” deve ser efetuado entre as 13 e as 15 horas ou após as 18 horas, sendo a segunda sugestão a mais adequada. “É fácil adormecer neste momento, porque acabamos de terminar o dia de trabalho e é quando o corpo se queixa de cansaço”.

Evitar café e chá no início da manhã

Uma vez que a sesta termina, é hora de festejar. Dança, diverte-te, bebe (moderadamente). Podes isto tudo até ser hora de ir trabalhar novamente. E é aí que entra a segunda etapa deste processo.

De volta ao trabalho, “teremos que nos hidratar bem”, aconselha Clemence Peix Lavallée. É Necessário beber muita água, muita água. E vamos evitar o café, chás ou energizantes porque depois do efeito desejado podem aumentar a impressão de fadiga.

Segundo a especialista, é melhor esperar o almoço, entre as 13 horas e 15 horas, para tomar o primeiro café do dia. “Podemos até optar por um expresso duplo”, diz.

Dormir 20 minutos

E imediatamente depois, uma nova soneca. Não é a mesma coisa que no dia anterior. Esta é muito mais curta e deve durar apenas vinte minutos. E não te preocupes com a cafeína que acabaste de ingerir, só será eficaz quando acordares. Além de não te impedir de dormir, depois da sesta, a cafeína vai ter um efeito duas vezes mais poderoso.

O objetivo deste processo restaurador não é apenas aumentar a pouca energia que nos resta. Este sono dividido evita aquela sensação de morosidade do dia seguinte e faz com que estejamos menos irritáveis ​​e ansiosos.

Assim que o dia de trabalho tiver acabado, o melhor é aproveitar para ter uma boa noite de sono. Não te esqueças, a privação do sono é perigosa. Pode causar apetite, problemas de concentração e até aumentar o risco de doença cardíaca. Festejar é bom, mas respeitar o teu corpo é melhor.